Publicidade

quarta-feira, 21 de setembro de 2016 Crítica, Novela | 10:00

Depois do fiasco no cinquentenário, Globo acerta a mão na dramaturgia

Compartilhe: Twitter

A Globo esperava que 2015, ano de seu cinquentenário, fosse inesquecível. E foi, mas pelo fracasso de suas grandes apostas em teledramaturgia às 21h.

Beatriz ( Glória Pires ) diante de Inês ( Adriana Esteves ) na prisão

Beatriz (Glória Pires ) e Inês (Adriana Esteves): duelo de vilãs que prometia em Babilônia, mas não aconteceu (João Cotta/Globo)

A Globo volta a viver em paz com a audiência de suas novelas em 2016, após a turbulência do ano passado, em que completou 50 anos. A emissora viu no ano de seu cinquentenário suas novelas das 9, principal produto da casa, despencarem nos índices e até perderem em alguns momentos a liderança para a Record e seus “Dez Mandamentos”.

Tudo sobre a volta de “Cheias de Charme”

A história de Romero (Alexandre Nero) não envolveu tanto o público em "A Regra do Jogo" (Renato Rocha Miranda/Globo)

A história de Romero (Alexandre Nero) não envolveu tanto o público em “A Regra do Jogo” (Renato Rocha Miranda/Globo)

“Babilônia” gerou grande expectativa em suas chamadas e teve um primeiro capítulo incrível, com embate de duas vilãs que prometiam – Glória Pires e Adriana Esteves – e um beijo entre ninguém menos que Fernanda Montenegro e Nathália Timberg. Mas as mudanças feitas prematuramente ante as críticas de que estaria pesada descaracterizaram a novela, que só precisava de ajustes. Resultado: média geral de 25 pontos, índice jamais visto no horário.

“A Regra do Jogo” veio em seguida e, embora aguardada por ser a primeira trama de João Emanuel Carneiro após o sucesso de “Avenida Brasil”, pegou o horário em baixa e enfrentou o auge das pragas de “Os Dez Mandamentos”, que vinha crescendo mês a mês. Resultado: penou com audiências ruins e perdeu em vários dias no confronto direto com a saga de Moisés (Guilherme Winter). A Globo só respirou com tranquilidade a partir de novembro, quando a história bíblica chegou ao fim.

O pesadelo só não foi maior porque produções de outros horários fizeram sucesso: “Verdades Secretas”, mesmo sendo exibida por volta da meia-noite, chegava a ser a maior ou uma das maiores audiências do dia. Sem alarde, a ótima “Além do Tempo” cativou o público das 18h. E no fim do ano, estreava “Totalmente Demais”, que veio a ser o maior sucesso das 19h dos últimos 4 anos.

Mariana Ximenes é Tancinha em "Haja Coração", releitura de "Sassaricando"

Mariana Ximenes é Tancinha em “Haja Coração”, releitura de “Sassaricando”

Em 2016, o pesadelo passou. Apesar de  não ter médias espetaculares e ser uma trama irregular – que alterna momentos ótimos com fases chatas – “Velho Chico”, atual ocupante das 21h, mantêm-se na casa dos 30 pontos. Nos outros horários, mais sucessos: “Êta Mundo Bom” registrou a melhor média das 18h dos últimos 9 anos e “Haja Coração” segue na trilha do sucesso de “Totalmente Demais” às 19h. A série “Justiça”, que termina esta semana, conseguiu prender a atenção e envolver o telespectador com seu formato. E “Supermax”, que estreou na terça-feira (20), é a dose de experimentalismo que pode dar certo às 23h. Antes tarde do que nunca, a Globo pode comemorar ter acertado a mão em sua dramaturgia.

 

Autor: Tags: , , , , , , , , , , ,

Nenhum comentário, seja o primeiro.

Os comentários do texto estão encerrados.