Publicidade

Arquivo da Categoria Humor

segunda-feira, 4 de abril de 2016 Humor, Programa | 11:00

Última temporada da “Escolinha do Professor Raimundo” com Chico Anysio volta ao ar no Viva

Compartilhe: Twitter
Heloísa Périssé era Tati e André Mattos, seu Fininho na temporada de 2001

Heloísa Périssé era Tati e André Mattos, seu Fininho na temporada de 2001

 

Viviane Araújo seduzia o Professora Raimundo (Chico Anysio como Dona Rosinha

Viviane Araújo seduzia o Professora Raimundo (Chico Anysio) como Dona Rosinha

Os fãs de Chico Anysio poderão rever a última temporada em que o humorista comandou a “Escolinha do Professor Raimundo”. A temporada de 2001, que era exibida às 17h na Globo, voltará ao ar nesta segunda-feira (4) no Canal Viva.

Novos personagens haviam se juntado aos tradicionais Rolando Lero (Rogério Cardoso), Seu Boneco (Lug de Paula), Dona Cacilda (Cláudia Jimenez) e Seu Peru (Orlando Drummond). Entre eles Seu Fininho (André Mattos), Tati (Heloísa Périssé), Leandra Borges (Ingrid Guimarães), Dona Tesinha (Daniela Valente) e o saudoso palhaço Carequinha (George Savalla).

O programa – que no ano passado ganhou um remake com outros atores e Bruno Mazzeo na pele do professor Raimundo – estreia às 20h e será exibido de segunda a sexta-feira neste horário, com reprise no dia seguinte ao meio-dia.

Autor: Tags: , , ,

quinta-feira, 31 de março de 2016 Entrevista, Humor | 17:00

Aos 35 anos, Rodrigo Sant’Anna comemora personagens na Globo e Multishow: “Muito boa essa abertura”

Compartilhe: Twitter
Em 2015, o ator ganhou o troféu Melhores do Ano, do "Domingão do Faustão"

Em 2015, o ator ganhou o troféu Melhores do Ano, do “Domingão do Faustão”

Rodrigo Sant’Anna só tem motivos para comemorar seus 35 anos nesta quinta-feira (31). O ator estreia no próximo dia 7 a segunda temporada da série “Os Suburbanos”, no canal Multishow; interpreta Carol Paixão no “Video Show” e durante todo o “Big Brother Brasil”; e continuará no elenco do “Zorra”, na Globo, que volta ao ar no dia 9 de abril.

Na correria do dia de seu aniversário, ele conversou com a coluna sobre a vida profissional agitada nos dois canais. Rodrigo não imaginava que a peça “Os Suburbanos”, que montou com Thalita Carauta após se formar na Casa de Artes de Laranjeiras, no Rio, pudesse virar filme e série de TV.

“A minha experiência de vida alavancou a vontade de falar sobre tudo o que passei sob uma nova ótica”, diz ele, criado no Morro dos Macacos, na Zona Norte do Rio de Janeiro. Após algumas participações em “A Diarista”, Rodrigo chamou a atenção de Renato Aragão, que o trouxe para “A Turma do Didi”. Ele é só elogios ao humorista, que hoje está afastado da TV.  “Ele é um mestre, e gênio não se classifica. Não tenho palavras”.

Destaque no antigo “Zorra Total” com personagens como Valéria e Edmilson, o ator se adaptou à “plástica” que a atração – rebatizada de “Zorra” – sofreu. “Achei positivo, abriu a possibilidade dos atores seguirem com outros personagens, terem novos desafios”.

Na pele de Carol Paixão, este ano, e de Valéria Vasquez, sua personagem no extinto "Zorra Total"

Na pele de Carol Paixão, este ano, e de Valéria Vasquez, sua personagem no extinto “Zorra Total”

E não é só nos humorísticos globais que ele bate cartão: na pele de Carol Paixão, Rodrigo aparece com frequência no “Video Show” e no “Big Brother Brasil 16”.  “É muito boa essa abertura para exercitar as personagens com uma mesma linguagem em outros lugares. Isso agrega à carreira e o mercado tem o que gosta”, avalia.

Rodrigo Sant'Anna na pele de Jefinho do Pagode (Foto: Juliana Coutinho/Divulgação)

Rodrigo Sant’Anna na pele de Jefinho do Pagode (Foto: Juliana Coutinho/Divulgação)

Série

Na história – uma parceria do Multishow com a Globo – o ator interpreta Jefinho do Pagode. “Ele tem sua raiz, mas a fama já subiu à cabeça: ele sacaneia o pobre como se não tivesse vivido isso, como se fosse uma realidade muito distante. A essência se mantém, é a brincadeira do pobre usufruindo da vida de rico, mas continuar com os maneirismos do pobre”, explica.

Natália Lage e Marcos Oliveira entraram no elenco: ela como uma mulher fatal que vai colocar toda a fortuna do pagodeiro em risco, e o ex-Beiçola de “A Grande Família” na pele do síndico do novo condomínio de Jefinho.

“Eu acho difícil fazer comédia, mas é um gênero que muito me interessa. A minha personagem não vale nada. Ela seduz o Jefinho e, quando ele se apaixona, ela logo se muda para a casa dele, fingindo ser empresária e prometendo ainda mais sucesso”, adianta Natália. “Tive que me segurar muito para não cair na palhaçada dele durante as gravações”, confessa Oliveira.

Aos 35 anos, Rodrigo Sant'Anna se divide entre seus personagens na Globo e no canal Multishow (Foto: Juliana Coutinho/Divulgação)

Aos 35 anos, Rodrigo Sant’Anna se divide entre seus personagens na Globo e no canal Multishow (Foto: Juliana Coutinho/Divulgação)

“A primeira temporada coroou o trabalho do Rodrigo no teatro e ficamos felicíssimos com a boa aceitação do público. Aprendemos muito e estamos evoluindo em termos narrativos. Não temos medo do ridículo”, afirma o diretor Luciano Sabino.

Jonathan Haagensen é um dos convidados da segunda temporada, que tem Solange Couto no elenco (Foto: Juliana Coutinho/Divulgação)

Jonathan Haagensen é um dos convidados da segunda temporada, que tem Solange Couto no elenco (Foto: Juliana Coutinho/Divulgação)

 

Nomes como Babu Santana, Nando Cunha, Solange Couto e Tadeu Mello completam o time. Valesca Popozuda, Eduardo Galvão, Erika Januza, Claudia Mauro, Jonathan Haagensen, Mr. Catra e Otaviano Costa fazem participações especiais durante os 20 episódios inéditos, que irão ao ar às 22h no Multishow às segundas, quartas, quintas e sextas.

Autor: Tags: , , , , , , , ,

domingo, 13 de março de 2016 Humor | 08:00

Canal Viva exibe “maratona” com todos os episódios da nova “Escolinha do Professor Raimundo” neste domingo (13)

Compartilhe: Twitter
Fabiana Karla, Bruno Mazzeo e Mateus Solano revivem personagens clássicos do humorístico

Fabiana Karla, Bruno Mazzeo e Mateus Solano revivem personagens clássicos do humorístico

Quem não viu ou quer passar algumas horas dando boas risadas com a nova versão da “Escolinha do Professor Raimundo” pode assistir a todos os episódios de uma vez neste domingo (13). O canal Viva vai exibir a partir das 19h uma maratona com os sete programas produzidos no ano passado.

Bruno Mazzeo (centro) com Lúcio Mauro e Lúcio Mauro Filho na nova "Escolinha"

Bruno Mazzeo (centro) com Lúcio Mauro e Lúcio Mauro Filho na nova “Escolinha”

Com uma nova geração interpretando personagens clássicos do humorístico, o “remake” agradou quando passou no Viva e depois na Globo, no início deste ano. A emissora aberta já pensa em uma nova safra de episódios, devido à ótima aceitação e audiência que obteve nas tardes de domingo.

Esta semana Malga de Paula, viúva de Chico Anysio, disse em entrevista a Gugu que o humorista “implorou muito” para que a Escolinha voltasse a ser produzida, mas não adiantou.

Ainda não assistiu? Saiba aqui é quem na nova escolinha.

Autor: Tags: , , , , , ,

quinta-feira, 10 de março de 2016 Humor, Programa | 12:00

Com “Chico Buarque da Direita”, “Tá no Ar” ganha sobrevida na internet

Compartilhe: Twitter

adnet

O “Tá no Ar” tem conseguido o que muitos programas  sonham, mas dificilmente conseguem: ganhar sobrevida na internet depois que terminam na TV. A paródia “Chico Buarque de Orlando” – que encerrou a atração na terça-feira (8) mostrando como seria uma versão “de direita” de Chico Buarque – ainda é o principal assunto buscado e comentado nas redes no Brasil nesta quinta-feira (10).

trends

O quadro (um anúncio do box com sucessos do cantor adaptados para versão conservadora) viralizou na internet, trazendo letras que causam riso imediato para quem conhece o repertório de Chico  – “A Banda”, por exemplo, cujos versos são “Estavaà toa na vida / O meu amor me chamou / Pra ver a banda passar / Cantando coisas de amor” ficou assim: “Fui protestar na Paulista/alguém interveio e falou / pra ir em Orlando morar / porque o Brasil acabou”.

ADNETCHICOComo já foi dito aqui semana passada, a terceira temporada virou garantia da maior quantidade de risadas por minuto na programação. Muito bom que Marcelo Adnet, após um início difícil na Globo, possa por em prática sua criatividade, produzindo coisas como os clipes que encerram cada episódio.

Assista abaixo à paródia de Chico Buarque:

Todos os sucessos em um único box. http://glo.bo/1SsxtRa #TánoAr

Publicado por Tá no Ar em Terça, 8 de março de 2016

Autor: Tags: , , , , , ,

quarta-feira, 2 de março de 2016 Crítica, Humor, Programa | 07:00

“Tá no Ar” garante a maior quantidade de risadas por minuto da TV

Compartilhe: Twitter

tanoar1

O “Tá no Ar” tem se consolidado como a melhor opção para rir na TV. Os episódios da terceira temporada viraram garantia da maior quantidade de risadas por minuto na programação. O formato, muito raro na Globo, dá asas a um Marcelo Adnet inspiradíssimo, como nos tempos de MTV, aliado a um elenco que deu super certo no humorístico.

tanoar3Em meia hora de duração, eles ignoram a patrulha politicamente correta e brincam com programas de todas as emissoras (inclusive da Globo), fazem paródias de propagandas de grandes anunciantes e brincam com todas as religiões, com uma liberdade sem igual na TV aberta.  O Militante, personagem que aparece após alguma esquete falando mal da Globo, era algo inimaginável até pouco tempo atrás.

Esquetes da “Galinha Preta Pintadinha”, “Jardim Urgente” e “Cidade Inversa” tem presença frequente, mas não obrigatória, já que o programa nada mais é do que um grande zapping pelos canais de TV. Imitações de Silvio Santos, João Kleber e outros da concorrência também são feitas sem medo.

A criatividade do que vai ao ar é um óasis só visto de tempos em tempos no humor brasileiro. Os clipes usados para o encerramento são absolutamente hilários. A produção que se faz para algumas cenas que duram de dois a cinco segundos no ar impressiona.

tanoar

O “Jardim Urgente” parodia os telejornais policiais, só que focado nos “delitos” do universo infantil

O problema com a audiência nas duas primeiras temporadas foi superado mudando o dia de exibição – quando ia ao ar às quintas-feiras, a atração perdia muitas vezes para “A Praça é Nossa”. Sem opção de um humor que não seja preciso pensar às terças, o telespectador está se dando uma chance de fazer um esforcinho para entender e rir. O próprio tema de abertura faz piada com isso. “A televisão me deixou burro, muito burro demais, agora todas as coisas que eu penso me parecem iguais”, diz a letra de “Televisão”, dos Titãs.

Depois do malfadado seriado “O Dentista Mascarado” (2013) – no qual Adnet estava nitidamente engessado pelo texto e personagem – é bom vê-lo deixando fluir sua veia cômica sem estrelismo, dividindo a cena com Marcius Melhem, Danton Mello, Luana Martau, Georgiana Góes, Maurício Rizzo e Welder Rodrigues, entre outros nomes. As participações especiais são frequentes – pela atual temporada já passaram, entre outros nomes, Tiago Leifert, Lília Cabral, Sandy e Monica Iozzi.

Programas de outras emissoras e da Globo, como o "Amor e Sexo", ganham paródias

Programas de outras emissoras e da Globo, como o “Amor e Sexo”, ganham paródias

Embora existam diferenças entre as atrações, os mais velhos lembram dos bons tempos do extinto “TV Pirata”, nos anos 80, ou do início do “Casseta & Planeta, Urgente”, na década de 90. O “Tá no Ar” influenciou também outro humorístico da emissora: o “Zorra Total” sofreu uma plástica no ano passado e em nada lembra o que era até o fim de 2014.

O espaçamento entre as temporadas se reflete no resultado: com tempo para piadas pensadas e produção, o “Tá no Ar” mantém sua qualidade sem cair na mesmice. Que o programa tenha vida longa e gere “filhotes”, renovando o humor, há décadas um dos maiores pontos fracos da nossa TV.

Autor: Tags: , , ,

quarta-feira, 14 de agosto de 2013 Bastidores, Humor | 03:10

Novo humorístico que a Globo estreará aos domingos já tem título

Compartilhe: Twitter
Jorge Fernando estará à frente do novo programa

Jorge Fernando estará à frente do novo programa

A Globo continua trabalhando num novo humorístico para estrear aos domingos. Dirigido por Jorge Fernando, o projeto já tem até título: “Fábrica”. Internamente, ele vem sendo tratado como um novo “TV Pirata”. No elenco, devem estar Marcelo Adnet, Leandro Hassum, Marcius Melhem, Bruno Mazzeo e Maria Clara Gueiros. Nomes da trupe Porta dos Fundos como Gregorio Duvivier e Fábio Porchat também foram procurados.

A previsão é que a estreia ocorra em outubro.

Siga-me no Twitter

Autor: Tags: , , , ,

segunda-feira, 5 de agosto de 2013 Crítica, Humor | 10:11

Marcelo Adnet diverte com paródia no ‘Fantástico’ e mostra que não precisa inventar a roda para fazer humor de qualidade

Compartilhe: Twitter
Marcelo Adnet

Marcelo Adnet imita Ney Matogrosso no “Fantástico”

Marcelo Adnet vive um momento curioso de sua carreira. Tido como uma das maiores revelações do humor nesta década, foi recebido com louros na Globo tão logo deixou a MTV. O tapete vermelho só aumentou as expectativas por parte dos espectadores e da crítica – especializada e de redes sociais. Sua primeira incursão na nova casa, “O Dentista Mascarado” foi pesadamente julgado. Ignorou-se que, a medida que os episódios se desenvolviam, o seriado inovou ao desenvolver um modo próprio de rir si mesmo, chegando ao ponto de rotular-se como fracasso em seu desfecho. Ainda insatisfeitos pelo resultado da série, a parcela “do contra” torceu o nariz também para suas participações no “Fantástico” durante a Copa das Confederações. Fato é: nunca se viu humorista sob tanta pressão e escrutínio em torno de seu trabalho.

Seu novo quadro no dominical resgata alguns do videoclipes mais icônicos dos 40 anos de história do programa e os revisita em tom de sátira. A ideia em si não é nova. Moacyr Franco já comandou no SBT um programa chamado “Concurso de Paródias”, em que os participantes davam novas letras para músicas consagradas. Da mesma maneira, Marcos Mion imitava os filmes dos mais diversos artistas e bandas no “Piores Clipes do Mundo”, na MTV. Isso não significa, no entanto, que a nova empreitada de Adnet no “Fantástico” seja ruim. Pelo contrário. Foi oportuna sua reinvenção de “Homem com H”, de Ney Matogrosso, justamente no momento em que políticos e religiosos fundamentalistas insistem em perseguir os direitos homossexuais. O que pesa sobre o humorista é o fato de que ele era tão livre em sua antiga emissora que parecia apontar novos rumos para a comédia no país. Esperavam que inventassem uma nova roda na Globo. Essa não é sua função. Sua função é fazer rir. E isso ele faz com competência.

O quadro do “Fantástico” conta com uma introdução em que a paródia é explicada, além de um esquete com alguma situação cotidiana, para deixar ainda mais claro sobre o que tratará a imitação. Todos cumprem bem seu propósito, embora deva haver menor preocupação em explicar reiteradamente do que em fazer rir. Dito isso, a imitação que Adnet fez de Ney Matogrosso foi divertida e respeitosa. Não pegou os caminhos mais fáceis e de gosto duvidoso. A letra também estava inspirada. E, aos críticos que enxergarem problemas nesta nova brincadeira e sentem saudades dos tempos da MTV, é bom lembrar: Adnet fazia exatamente isso – paródias de músicas – no “15 Minutos” e era considerado genial. Mudou Adnet ou mudou a maneira como ele é visto por estar em outro canal? Perguntar não ofende.

Siga-me no Twitter

Autor: Tags: , , ,

quinta-feira, 11 de julho de 2013 Crítica, Humor | 10:00

‘Vai que Cola’ tem proposta promissora, mas peca pela falta de graça e equívocos de narrativa

Compartilhe: Twitter
O elenco de "Vai que Cola", que estreia nesta segunda (8), no Multishow, às 22h30

O elenco de “Vai que Cola”, novo humorístico do Multishow

Há projetos que, antes mesmo de estrear, nutrem com a simpatia de grande parte do público. “Vai que Cola”, que o Multishow leva ao ar desde a última segunda-feira (8), é um deles. Afinal, como poderia um humorístico com nomes do naipe de Paulo Gustavo, Marcus Majella, Samantha Schmutz e Cacau Protásio dar errado? A probabilidade seria ínfima mas, infelizmente, se confirmou. Sitcom com plateia, no formato já eternizado por “Sai de Baixo”, o programa até rende bons momentos, mas encontra na narrativa seu maior problema. É difícil identificar a linha condutora de alguns episódios, caso do exibido na última quarta-feira (10). A impressão é que, para dar destaque a todo o elenco, a história acaba diluída. A comparação com personagens de seu antecessor, aliás, é inevitável. O vigarista Valdo (Paulo Gustavo), por exemplo, tem seus momentos de Caco Antibes. Já Terezinha (Cacau Protásio), à sua maneira, tem um quê de Magda. Por sua vez, Dona Jô (Catarina Abdalla), a provadora, tem semelhanças com Vavá.

O paralelo entre os personagens não é prejudicial, uma vez que a memória afetiva é carinhosa e a proposta sucede o original, mas falta a estas figuras a mesma vivacidade e – por que não? – complexidade dos antecessores. À exceção da iluminação nem sempre lisonjeira e dos muitos takes da plateia enfiados goela abaixo, o humorístico se sai bem nos quesitos técnicos. Tem boa cenografia, palco giratório bem usado, sons bem usados. Falta, no entanto, algo que deixe o espectador apegado a figuras em sua maioria trambiqueiras. Talvez isso se deva a algum equívoco de escalação, caso de Fiorella Matheis, que, embora lindíssima, ainda não encontrou o tom certo de sua falsa gringa. Fernando Caruso extrapola no exagero, mas cumpre bem seu papel. O grande destaque, por enquanto, está por conta de Samantha Schmutz, que tem conseguido arrancar momentos inspirados de sua periguete.

É difícil escrever roteiros para uma história com personagens em profusão. Mas há que se achar soluções para evitar que determinadas figuras estejam em cena apenas para marcar presença. Ou até mesmo entender melhor o ambiente. Numa sequência, por exemplo, Jô finge estar desmaia enquanto Jéssica, sua filha, chora desesperadamente para postar na internet em seguida. Entra em quadro Wilson, que acorda a dona da pensão e com ela conversa. Sem ter o que fazer em cena, resta a Samantha Schmutz seguir chorando, como se não percebesse que a mãe, ao seu lado, estava acordadíssima. Criticar comédia é complicado, porque o conceito de graça é relativo. Mas, a julgar pelos primeiros episódios, “Vai que Cola” precisa de bons ajustes para arrancar boas risadas do começo ao fim. Uma pena.

Siga-me no Twitter

Autor: Tags: , , ,

segunda-feira, 10 de junho de 2013 Bastidores, Humor | 14:49

Canal Viva vai abrir sinal para assinantes da NET assistirem estreia dos episódios inéditos de 'Sai de Baixo'

Compartilhe: Twitter

O elenco do primeiro episódio inédito da volta de "Sai de Baixo"

Por causa do barulho causado pelo retorno do “Sai de Baixo”, o Canal Viva abrirá o sinal para que todos os assinantes da NET consigam assistir ao humorístico entre 7 e 17 de junho. O primeiro episódio irá ao ar a partir do dia 11, mas, ao longo da programação há drops especiais sobre o programa.

Nos intervalos, por exemplo, começará a ser exibido o “Momento Reviva”. Trata-se de pílulas gravadas pela apresentadora do programa, Nathalia Ramos, com os atores, fãs e bastidores do sitcom, além de entrevistas com os famosos que estiveram na plateia da gravação e cenas dos artistas decorando o texto e da montagem do palco.

Siga-me no Twitter

Autor: Tags: , ,

sexta-feira, 7 de junho de 2013 Bastidores, Humor | 15:13

Com 'O Dentista Mascarado' próximo do fim, Globo encaixa Marcelo Adnet no 'Fantástico'

Compartilhe: Twitter

Marcelo Adnet: agora também aos domingos na Globo

A Globo já definiu um novo rumo para Marcelo Adnet. Encerradas as gravações de “O Dentista Mascarado”, o humorista passará a dar expediente no “Fantástico”. No dominical, Marcelo ufará comentários sobre a Copa das Confederações, abordando os jogos, os resultados, a atuação das seleções e os últimos acontecimentos do campeonato. Ele ficará no ar enquanto o campeonato ocorrer.

Siga-me no Twitter

Autor: Tags: , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  5. 4
  6. 5
  7. 10
  8. Última