Publicidade

Arquivo da Categoria Humor

quarta-feira, 5 de junho de 2013 Bastidores, Crítica, Humor | 03:06

Primeira noite de gravação dos episódios inéditos de 'Sai de Baixo' confirma: programa segue atual e engraçadíssimo

Compartilhe: Twitter

Miguel Falabella, Aracy Balabanian, Luiz Gustavo e Marisa Orth

“Só queria lembrar a todos que isto é uma gravação, então pode haver cenas a repetir ou ator esquecendo o texto. Podem aplaudir à vontade. O cérebro do Falabella, por exemplo, já está fundido. Já o Caçulinha eu trouxe do asilo”. Foi assim, em clima descontraído, que Dennis Carvalho recepcionou a plateia de um dos momentos mais esperados da TV brasileira este ano: a volta de “Sai de Baixo” em episódios inéditos. Programados para ir ao ar no Canal Viva a partir do dia 11 deste mês, os programas trarão de volta Miguel Falabella, Marisa Orth, Márcia Cabrita, Aracy Balabanian e Luis Gustavo do elenco original. Claudia Jimenez, Tom Cavalcante e Claudia Rodrigues ficaram de fora.

Assistir como plateia e não espectador ao humorístico é uma experiência igualmente divertida. Assim como o diretor avisou, muitas cenas precisaram ser interrompidas para que o elenco lembrasse do texto, mas até isso faz parte do charme da atração, que s notabilizou também pelo riso frouxo de seus atores. Iniciado com uma hora de atraso, o espetáculo tinha um clima de expectativa por rever aqueles personagens tão grande que não houve queixas.

O episódio a que a coluna assistiu mostra Neide Aparecida (Cabrita) rica – graças à PEC das emregadas, diga-se – e reunindo toda a trupe, que separou-se há 11 anos. Cassandra (Balabanian) morava com uma tia sovina. Vavá (Gustavo) foi para a Amazônia. Magda (Orth) foi extraditada da Europa e passou a morar no aeroporto. Caco (Falabella) foi preso na Dinamarca. Caquinho, o caçula da família, é apenas citado: virou ex-BBB e hoje vive de fazer “presença”. Se os rumos que os personagens tomaram já parecem surpreendentes, prepare-se porque o texto de Artur Xexéo e Falabella é delirante. No melhor dos sentidos. Tony Ramos faz uma participação especial como um mordomo. Os atores, aliás, parece que nunca deixaram os personagens de lado e pegaram exatamente do ponto onde pararam.

É nos momentos inesperados que surgem também as maiores surpresas. Numa sequência em que leva Magda e Jean (Ramos) para o quarto, Caco diz: “Na cadeia me abri a novas experiências”. E completa com um merecido “Vou pegar esse urso! Chupa, Feliciano!”. A plateia, claro, apoiou em peso. Uma das grandes razões para o sucesso de “Sai de Baixo” residia no fato de o programa brincar com assuntos da atualidade. E este retorno não foge à regra. Há brincadeiras com o preço do tomate e a situação dos aeroportos, por exemplo.

Infelizmente, as sessões dos episódios inéditos são fechadas para convidados. Isso não significa, claro, que a diversão não está garantida. Ver na TV essa turma toda reunida novamente é um programão. Vale a pena sintonizar no Canal Viva a partir do dia 11 para assistir.

Siga-me no Twitter

Autor: Tags: , , , , , , , ,

terça-feira, 4 de junho de 2013 Crítica, Humor | 05:41

'CQC' desperdiça o talento de Dani Calabresa

Compartilhe: Twitter

Dani Calabresa: alvo de roteiros problemáticos

Não há dúvidas sobre o talento de Dani Calabresa. A humorista, experiente e cheia de recursos, não chamou atenção da Band à toa. A leveza e despretensão com que comandava o “Furo MTV” ao lado de Bento Ribeiro, bem como suas imitações no “Comédia MTV” renderam ótimos momentos e até hoje seguem sendo lembrados em conversas entre amigos, nas redes sociais ou via YouTube. Chama atenção, no entanto, o completo descaso que o “CQC” parece ter dedicado à artista após sua estreia – uma das mais aguardadas do ano, diga-se.

Inicialmente, Calabresa dividiria a bancada por alguns minutos e chamaria seu quadro. Poucas semanas após entrar no ar, sumiu dos momentos ao vivo. Já seu segmento, que pretendia emular os tempos do “Furo”, peca pelo que havia de melhor na antiga emissora: roteiro e edição. Não dá para acreditar que achem engraçado tudo o que escrevem para a humorista, que, aliás, consegue salvar com seu jeito despachado um desastre ou outro. Curiosamente, são exatamente essas áreas apontadas com deficiência no quadro na época de estreia. Parece não ter havido grande melhora.

Para completar, a edição dos cinco minutos semanais também comete erros básicos. Na última segunda-feira (3), por exemplo, quando contracena consigo mesma vestida de Dilma, Calabresa diz: “Eu não sou burra”. Ocorre que o xingamento vindo da sátira à presidenta só viria segundos depois. Qualquer bom editor, roteirista ou diretor atento perceberia que a “piada” veio fora de hora. E seria abolutamente fácil corrigi-la. Isso para não citar o interminável esquete com Mônica Iozzi – que estabelece boas tabelinhas, ressalte-se -, repleto de tiradas relacionadas ao futebol que qualquer criança na quinta série já teria superado.

Quando participou de uma edição especial do programa no ano passado, a humorista foi às ruas e conseguiu momentos hilários. Deu show de improvisação. Tanto no “Furo” quanto no “Comédia”, da MTV, parecia conseguir achar pequenos espaços nas marcações para uma brincadeira ou outra. Agora, no esquema atual, está mais amarrada do que deveria.

Quando assinou com a Band, Calabresa teve também a promessa de um programa solo. Para os que são fãs de seu trabalho – como a coluna – resta rezar para que isto ocorra logo. Porque, a julgar pela disposição que o “CQC” tem mostrado pela sua integrante, ainda veremos muita piada sem graça pela frente. A humorista merece mais.

Siga-me no Twitter

Autor: Tags: , , ,

segunda-feira, 20 de maio de 2013 Bastidores, Humor | 14:00

Paulo Gustavo ganhará dois novos programas no Multishow e vai dirigir série de humor estrelada por Samantha Schmutz

Compartilhe: Twitter

Paulo Gustavo: dois novos programas, filme e direção de série

O Multishow está apostando alto no talento de Paulo Gustavo, que já apresenta o hilário “220 Volts” no canal. No mês que vem, o humorista estreia à frente do “Vai Que Cola”, humorístico que lembra muito “Sai de Baixo” por ser gravado com plateia. Na história, ele viverá um malandro da Zona Sul que foge da polícia e vai parar numa pensão de quinta categoria.

Mas a grande novidade é que o canal a cabo já trabalha no projeto de um novo programa solo para o ator. Com início dos trabalhos previsto para o segundo semestre, “Paulo Gustavo na Estrada” será quase um reality show. A ideia é que as câmeras acompanhem o humorista – e as roubadas em que se mete – durante suas viagens pelo Brasil com a turnê das peças “Hiperativo” e “Minha Mãe É Uma Peça” – que, aliás, estreia sua versão para os cinemas em 21 de junho.

Além disso, Paulo estará no comando de outra empreitada. Ele vai dirigir um seriado de humor estrelado por Samantha Schmutz, conhecida por ter vivido o Juninho Play, no “Zorra Total”.

Siga-me no Twitter

Autor: Tags: , , , , ,

quinta-feira, 16 de maio de 2013 Bastidores, Humor, Seriado | 15:20

Monica Martelli ganhará seriado no GNT inspirado na peça 'Os Homens São de Marte'

Compartilhe: Twitter

Monica Martelli: projeto de série na TV a cabo

Atualmente no ar como uma das debatedoras do “Saia Justa”, Monica Martelli ganhará uma nova atração no GNT em breve. A atriz adaptará sua peça “Os Homens São de Marte… E é pra Lá que Eu Vou” para o canal por assinatura. A ideia é fazer um seriado com cerca de 13 episódios de meia hora.

A produção começará no segundo semestre e a estreia está prevista para abril do ano que vem.

Siga-me no Twitter

Autor: Tags: , ,

Bastidores, Humor | 13:40

Canal Viva muda a data dos episódios inéditos de 'Sai de Baixo'

Compartilhe: Twitter

O Canal Viva acaba de anunciar que adiou em alguns dias a exibição dos novos episódios de “Sai de Baixo”. Em razão de compromissos do elenco, o sitcom, que entraria no ar em 4 de junho, só será transmitido a partir do dia 11. As gravações ocorrerão nos dias 4, 5, 11 e 12 de junho, no teatro Procópio Ferreira, em São Paulo.

Siga-me no Twitter

Autor: Tags: ,

domingo, 28 de abril de 2013 Humor | 13:00

Multishow transformará projeto da internet comandado por Diogo Portugal em programa de TV

" addthis:url="http://natv.ig.com.br/index.php/2013/04/28/multishow-transformara-projeto-da-internet-comandado-por-diogo-portugal-em-programa-de-tv/"> Compartilhe: &related=ultimosegundo&via=ig" class="botaotwitter" target="_blank">Twitter
Diogo Portugal

Diogo Portugal come;ca a gravar no mês que vem

Um dos canais por assinatura que mais investe na produção nacional, o Multishow colocará no ar mais estreias este ano. A emissora a cabo levará para suas telas um projeto saído da internet. “Fritada”, criação de Diogo Portugal. A ideia é simples: cinco humoristas fazem uma espécie de sabatina com um convidado famoso, que, claro, estará “frito” com a situação.

As primeiras gravações ocorrem em setembro e a estreia está prevista para outubro.

Siga-me no Twitter

Autor: Tags: , ,

sexta-feira, 19 de abril de 2013 Bastidores, Humor | 13:24

Rede TV! engaveta projeto de clone do 'Pânico' aos domingos

Compartilhe: Twitter

A Rede TV! resolveu parar por um tempo com o desenvolvimento de um novo humorístico para as noites de domingo nos moldes do “Pânico”. Produtores que trabalhavam na ideia, já começaram a ser deslocados para outras atrações. Por enquanto, o programa será engavetado, mas há quem não descarte a possibilidade de que volte a ser produzido no segundo semestre.

Siga-me no Twitter

Autor: Tags: ,

sábado, 6 de abril de 2013 Crítica, Humor, Seriado | 00:34

'O Dentista Mascarado' estreia morno, mas promete diversão com elenco afinado liderado por Marcelo Adnet e Taís Araújo

Compartilhe: Twitter

Marcelo Adnet e Taís Araújo numa cena de "O Dentista Mascarado"

Depois de focar em relacionamentos de casal, funcionários públicos e até mesmo apocalipse, Fernanda Young e Alexandre Machado apostam no mundo dos super-heróis com “O Dentista Mascarado”. Cercado de expectativa por ser o primeiro projeto de Marcelo Adnet desde que deixou a MTV, o seriado retrata um homem ordinário que durante o dia combate as cáries e à noite luta contra o crime. Os roteiristas resolveram pisar fundo numa tendência que vem ganhando força em Hollywood: a dos cidadãos que viram vigilantes. Longas como “Kick Ass” e “Defendor” são inevitáveis referências a um seriado com esta premissa. Ambos misturam ação com grandes doses de humor esperto, especialidade dos autores brasileiros. Há uma diferença significativa entre as figuras que lideram estas tramas: enquanto no cinema os tipos são absolutamente comuns, aqui, o personagem principal tem extravagância desde sua primeira cena. Ou seja: pode causar certo estranhamento no começo até que o espectador se habitue com seu jeito “sui generis” de ser.

Nesse sentido, não faltaram piadas de duplo sentido – o protagonista se acha um grande contador de anedotas que na verdade não têm graça nenhuma – e brincadeira até mesmo com o stand up comedy – “sabia que isso não tinha graça”, diz um dos personagens ao ouvir que uma plateia só ria graças ao gás do riso. A julgar pelo primeiro episódio, no entanto, nem todas as piadas funcionaram como deveriam e deixaram morna uma estreia que poderia ter sido mais explosiva. O texto de Young e Machado é gostoso e popular sem apelar para a vulgaridade, mas faltou ritmo a algumas sequências. Dito isso, isoladamente, houve momentos inspirados reforçados pelo ótimo elenco.

O destaque absoluto do primeiro episódio foi de Taís Araújo e Otávio Augusto, que construíram tipos carismáticos e hilários. Isso não significa, claro, que Adnet tenha ficado em segundo plano. O humorista apelou para um personagem de composição cuidadosa, construído nos mínimos detalhes, como a risada que ecoa barulhos esquisitos ou a entonação que remete sutilmente à dublagem de filmes antigos de ação. É um ótimo trabalho, mas que o distancia da maneira como era visto na MTV, emissora na qual era livre para improvisar. Aqui, não há Adnet. Há apenas Paladino, um homem ordinário que vai virar herói. Ou melhor: anti-herói. Que venham os próximos capítulos desta história.

Siga-me no Twitter

Autor: Tags: , , ,

terça-feira, 26 de março de 2013 Bastidores, Humor | 19:49

Episódios inéditos de 'Sai de Baixo' ganham data de gravação e exibição no Canal Viva. Saiba como será a história!

Compartilhe: Twitter

Miguel Falabella e Marisa Orth voltarão a viver Caco e Magda no humorístico

O Canal Viva bateu o martelo e ocorrerão em abril as gravações dos quatro episódios inéditos de “Sai de Baixo”. Como a coluna havia adiantado, Miguel Falabella, Marisa Orth, Aracy Balabanian, Luiz Gustavo e Márcia Cabrita estarão de volta. Tom Cavalcante e Claudia Rodrigues estão fora da empreitada, mas o canal ainda trabalha para convencer Claudia Jimenez a fazer uma participação especial.

A data de estreia também foi definida: o humorístico volta ao ar em 21 de maio, uma terça-feira, às 20h30. Todos os episódios serão gravados no Teatro Procópio Ferreira, em São Paulo.

Uma das quatro histórias, que terão direção de Dennis Carvalho e roteiros de Falabella, vai girar em torno de Neide Aparecida (Cabrita), ex-empregada que voltará rica ao apartamento do Arouche, para inveja de Caco Antibes e companhia.

Siga-me no Twitter

Autor: Tags: , , , , , , , , , ,

terça-feira, 19 de março de 2013 Crítica, Humor | 15:59

Com reforço de Dani Calabresa, 'CQC' volta bem de audiência e em busca de novos rumos

Compartilhe: Twitter

Dani Calabresa na bancada do "CQC" com Marcelo Tas, Oscar Filho e Marco Luque

Depois de um período de férias, o “CQC” voltou ao ar na última segunda-feira (18) com novo cenário e reforço no elenco. Boa parte da expectativa que gerou, claro, estava concentrada na estreia de Dani Calabresa, que estreou na Band depois de uma passagem gloriosa pela MTV. Sua chegada à trupe, aliás, já mudou de cara a maneira como o programa se apresentou. Houve maior apelo para a exibição de esquetes de dramaturgia – antes relegados a peças de merchandising ou pequenos apartes em quadros como o “Proteste Já”.

Na abertura, com participação de Val Marchiori, Sabrina Sato e Gominho, os humoristas tentaram focar numa possível rivalidade entre Calabresa e Môniza Iozzi. Foi, de fato, a melhor maneira de afastar qualquer possível rumor de ciumeira, e, mais que isso, apontou para a disposição do programa para testar novos formatos. Reportagens como o embate entre Maurício Meirelles e Marcos Feliciano merecem ser destacadas, bem como a cobertura do conclave por Felipe Andreolli. Houve, no entanto, uma inevitável sensação de reprise na criação da pauta. A cenografia, apesar de bela, pareceu exagerar nos tons escuros. Talvez seja falta de costume, mas a madeira misturada ao acrílico preto pesou na tela.

Quanto a Calabresa – da qual a coluna é fã de carteirinha – faltou um tiquinho mais de ritmo na edição de seu quadro. O segmento tenta emular a experiência da apresentadora no “Furo MTV”, que permitia que ela ironizasse notícias reais. Acontece que muita da mágica do antigo programa se dava na interação entre seus comandantes, nas pequenas falhas e improvisos. Em participação especial no “CQC” no ano passado, a humorista simplesmente arrasou e deu um show de timing ao realizar entrevistas. Não digo aqui que Calabresa precisa de uma “escada”, longe disso. Talvez o caminho mais indicado seja deixar o roteiro um pouco mais livre para a improvisação. Dito isso, ainda assim, seu quadro rendeu boas risadas e ela mostrou desenvoltura também na bancada.

No quesito audiência a re-estreia do “CQC” foi bem. De acordo com o Ibope, o humorístico deixou a Band na vice-liderança por 51 minutos e registrou média de 5 pontos, com pico de 7.

Siga-me no Twitter

Autor: Tags: , , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  5. 4
  6. 5
  7. 10
  8. Última