Publicidade

domingo, 27 de fevereiro de 2011 Entrevista | 10:01

Nico Puig: 'Acho que tenho cara de vilão'

Compartilhe: Twitter

Nico Puig será Filinto, um sociopata torturador em "Amor e Revolução", do SBT

O Canal Viva tem alterado a rotina de alguns atores. Nico Puig, por exemplo, agora só dorme depois que o capítulo de “Sex Appeal”, minissérie que o revelou para o grande público na Globo termina. Exibida originalmente em 1993, a produção foi o ponto de partida de grandes estrelas da TV, como Camila Pitanga, Carolina Dieckmann, Danielle Winits e Luana Piovani. Também foi ela a responsável por arremessar Nico Puig e Felipe Folgosi ao posto de protagonistas da inesquecível novela “Olho no Olho”, na qual viviam rivais que disparavam laser pelos olhos e disputavam o amor de Patrícia de Sabrit. A atriz, aliás, voltará a contracenar com Nico em “Amor e Revolução”, trama do SBT que deve estrear em abril. No folhetim escrito por Tiago Santiago, o ator dará vida a Filinto, um major do exército com comportamento de sociopata que tortura não somente os que se posicionam contra a ditadura, como também a própria mulher. Para compor o papel, Nico foi longe. “Viajei até Cartagena para conhecer o Museu da Tortura, conversei com militares, pesquisei sobre o período em filmes e livros”, conta ele, que, além de atuar, se revela um aficcionado por decoração e ainda se dedica ao container housing. “O escritório de meu apartamento fica dentro de um container”, diz. Boa-praça, Nico conversou com a coluna.

IG: Como é reencontrar Patrícia de Sabrit?
NICO PUIG: É incrível. Patrícia é uma irmã querida e uma amiga de muitos anos. Ela foi minha namorada dos tempos de adolescência, antes mesmo de fazermos “Olho no Olho”, fizemos uma peça juntos quando éramos novinhos. Hoje a gente ri desses tempos. E estou muito feliz por ela, pelo casamento, pelo filho, pela família que ela construiu. É uma grande satisfação trabalhar com ela.

IG: Muita gente ainda te para na rua pra falar de “Olho no Olho”?
NICO PUIG: Muitas pessoas ainda fazem referência à novela. Acho que a lembrança é forte porque eu vivia um vilão, que entrava na trama para tumultuar. Mas também tem muita gente que lembra de “Sex Appeal”. Agora que está reprisando no Viva, então, muitos entram em contato. São trabalhos marcantes. Também me param na rua para falar de “A Pequena Travessa” ou “Maria Esperança”, que fiz no SBT. Dizem que torceram para que meu personagem, que era paralítico, ficasse com a mocinha no final. Acho que isso varia com a referência da época. Os mais jovens não lembram tanto de “Sex Appeal”, por exemplo.

IG: “Sex Appeal” revelou muita gente que está trabalhando até hoje. Ainda mantém contato com estas pessoas?
NICO PUIG: Tenho muitos amigos daquela época. Alguns se afastaram um pouco, claro, porque tinha menos intimidade. A minissérie revelou mesmo muita gente boa, mas eu já trabalhava há um tempo naquela época. Comecei bem antes, apresentei o “Revistinha”, que era um programa ao vivo na TV Cultura, fiz mais de 150 campanhas… Aliás, fui o primeiro ator a fazer campanha de prevenção a Aids no Brasil. Mas acho que posso dizer, sim, que “Sex Appeal” também foi um start de projeção. Me tornei mais conhecido por causa dela.

IG: Sente saudades daquela época?
NICO PUIG: Não sou muito saudoso, não. Já fui mais saudoso, mas, depois que me separei, passei a viver mais o presente. Hoje olho com distanciamento, mas, é claro, é muito legal ver cenas daquela época. Quando fiz “Sex Appeal”, tinha 18, 19 anos. Hoje já estou com 38.

O ator em 1993, num bastidor de "Sex Appeal", com Bel Kutner

IG: Falando do seu presente, então, como tem sido gravar “Amor e Revolução”?
NICO PUIG: Recebi um grande presente do Tiago Santiago. Filinto é um personagem muito rico e multifacetado. O fato de ele ser um sociopata é só um detalhe. É um homem que tortura até a própria mulher.Tiago tem uma forma de escrever que é muito prazerosa para o ator.

IG: Por que acha que faz tantos vilões?
NICO PUIG: Acho que tenho cara de mau, talvez não tenha uma cara muito simpática. Não correspondo ao protótipo de galã, meu jeito é meio tosco, seco, tenho maxilar grande sou orelhudo, tenho nariz grande. Engraçado que até me considero um cara doce, mas isso só quem me conhece pode dizer, né? Não vou ficar aqui vendendo meu peixe. (risos) Mas busco ser uma boa pessoa no meu dia-a-dia, tratar a todos bem.

IG: Fez pesquisa sobre o tempo de ditadura para compor seu personagem?
NICO PUIG: Tivemos um workshop no SBT, mas, além disso, tive a oportunidade de ir até Cartagena, onde visitei o Museu da Tortura. Conversei com pessoas que sofreram tortura nos tempos de ditadura e também tive contato com militares, que passaram a própria visão da história. Muitos deles tentam se eximir de culpa, dizem que não era bem assim. Engraçado que eu era muito criança nessa época, mas tenho lembrança do convívio familiar que dão uma mostra de como era viver naquele tempo: de não poder ouvir certas músicas, de algumas restrições, por exemplo. Talvez eu não tivesse a maturidade pra entender, mas hoje entendo.

IG: Acha que o Brasil está pronto para as cenas de tortura? Não tem medo que a novela seja vista apenas por causa disso?
NICO PUIG: Me considero uma ferramenta para ajudar os brasileiros a conhecer melhor a história do próprio país e assumir uma postura. Não acho que o espectador vá se chocar, não. Habitualmente a gente vê cenas tão duras nos telejornais. É necessário verem o que ocorreu para não emburrecerem, para terem conhecimento da história e poderem formar uma visão crítica com discernimento. Essa é a oportunidade de tomar conhecimento por quem lutou por nossos direitos. Os brasileiros têm de aprender a bater o pé.

IG: Você está fora da Globo há quase 15 anos. Por quê?
NICO PUIG: A Globo realmente dá uma projeção bacana, mas outras emissoras podem dar também. Comecei a carreira fora da Globo, na TV Cultura, fiz novela no SBT, com Walter Avancini, e só depois fui trabalhar na Globo. Tive um período de muito trabalho na emissora, mas fui criado em São Paulo apesar de ser carioca. Me firmei aqui e tive muitos trabalhos amarrados aqui. O fato de estar fora da Globo não significa que estou sem trabalho; sempre estou fazendo algo. E acho que as outras emissoras estão investindo em seus núcleos de dramaturgia, conseguindo boa audiência.

IG: É verdade que você se dedica também a outra profissão?
NICO PUIG: Sou conhecido como designer da lata, trabalho com reciclagem e planejamento. Às vezes acho móveis no lixão e os transformo. Gosto disso. Mas meu forte é mesmo o metal. Também faço container housing. Meu escritório, por exemplo, fica dentro de um container. É um espaço mais contemporâneo. Trabalhar com reciclagem é bom, ainda mais em tempos tão consumistas. Já fui muito consumista, mas hoje sou mais tranquilos. Se é pra consumir, que consumam mais novelas.

IG: Por fim: se arrepende de ter posado nu?
NICO PUIG: Seria retrógrado dizer que sim. Hoje, talvez pensasse três vezes. Mas na época me senti lisonjeado com o convite. Chegavam cartas na redação da revista pedindo para que eu fosse capa. E também não sou o protótipo desse tipo de publicação, malhado, forte. Sei que vendeu bem, ficou entre as três de maior sucesso da editora, mas nem cheguei a ver nas bancas. Fiz o ensaio e fui passar um tempo nos Estados Unidos. Sou a favor da liberdade de expressão e também pensei: “se não fizer agora, em 10 anos eu não faço”. Existe uma coisa chamada lei da gravidade! (risos). Os cabelos já estão ficando brancos… Acho que eternizei um bom momento.

Me siga no Twitter

Autor: Tags: , , , , , , ,

sábado, 26 de fevereiro de 2011 Crítica | 15:10

Com James Franco e Anne Hathaway, o Oscar quer alcançar público mais jovem e se livrar da crise de audiência

Compartilhe: Twitter

James Franco e Anne Hathaway: sem piadas agressivas este ano

Chega de ícones da comédia ou astros quarentões. Os baixos indices de audiência do Oscar nos últimos anos fez a Academia de Artes e Ciências de Hollywood perceber uma coisa: seus espectadores estavam ficando cada vez velhos e a cerimônia não despertava o interesse dos mais jovens. Este ano, o evento pretende mudar isso e atrair pessoas com menos de 30 anos. As armas para tanto atendem pelo nome de Anne Hathaway e James Franco, dois atores de inegável apelo popular – e imagem de bons moços, claro. Para atrair os internautas, por exemplo, há dias ambos postam imagens dos ensaios para a festa em suas contas no Twitter. E mais: chegaram a pedir às mães e avós que tuitassem sobre a premiação.

Revelada para o sucesso com “Diários de uma Princesa” e “O Diabo Veste Prada”, Anne já havia subido no palco do Oscar no ano retrasado, quando contracenou com Hugh Jackman num número musical. E tem emplacado um papel mais chamativo que o outro. Se no recente “O Amor e Outras Drogas” ela encarou várias cenas de nudez, agora se prepara para embasbacar os fãs no uniforme da Mulher-Gato no próximo filme do Batman.

Já James Franco é desses que agrada a gregos e troianos. Adorado pelos gays depois de ter feito “Milk – A Voz da Igualdade”, emplacou personagens hilários em comédias como “Segurando as Pontas” e seduziu mocinhas numa cinebiografia de James Dean. Este ano, além de apresentar, concorre ao prêmio de melhor ator, pela visceral interpretação em “127 Horas”. Dado a piadinhas infames, já teve vetado um número pela Academia: ele queria subir ao palco fantasiado de Cher e cantar “You Haven’t Seen The Last Of Me”, música ganhadora do Globo de Ouro, mas injustiçada pelo Oscar.

As anedotas, aliás, são uma grande preocupação dos organizadores do evento. Especialmente depois que Ricky Gervais chocou a todos no Globo de Ouro com tiradas muito pouco sutis. Houve estrela de Hollywood se sentindo humilhada. Para tanto, os dois jovens atores já se apressaram em dar entrevistas e negar qualquer pretensão de fazer piadas jocosas.

Parece mesmo que Franco e Hathaway representam um divisor de águas na história do Oscar. Eles, jovens da mesma geração de “A Rede Social”, terão de lidar com o tradicionalismo dos produtores, que endeusam o careta “O Discurso do Rei”. Parece que a batalha entre os favoritos se refletirá também nos bastidores. Se o bom mocismo vai tornar tudo mais chato ou mais legal, só saberemos no domingo.

Me siga no Twitter

Autor: Tags: , , , ,

Sobe e desce | 14:12

O legal e o mico da semana

Compartilhe: Twitter

O LEGAL – Participações especiais de “Ti Ti Ti”

Tuna Dwek como a maldosa Sueli Pedrosa

Maria Adelaide e Jorge Fernando não poderiam ter acertado mais ao resolver chamar alguns artistas para participações especiais em “Ti Ti Ti”. Depois de Xuxa, há alguns dias, foi a vez de Tuna Dwek – que, para nossa sorte, volta em definitivo para a trama – e Daniela Escobar roubarem a cena na novela das sete. A apresentadora sensacionalista Sueli Pedrosa (Tuna) parece adorar um barraco e esta semana não foi diferente: introduziu a perua Daguilene (Daniela Escobar) na trama em grande estilo. A gente quer mais. Em tempo: dizem que Ronaldo Fenômeno aparecerá no último capítulo.

O MICO – Pedro Bial fala “Anauê” no “BBB 11”

Pedro Bial: "Anauê", não!

A coluna ama Pedro Bial e considera ele o maior apresentador de reality show do país. Mas o jornalista pisou na bola esta semana ao saudar os participantes do “BBB 11” com um polêmico “Anauê”. Para quem não sabe, a expressão tem cunho facista e era usada pelo integralistas no século passado. Vendo que fez bobagem, Bial se justificou depois. Mas pegou mal.

Me siga no Twitter

Autor: Tags: , , , , , , , ,

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011 Novidade | 20:53

Patrícia Abravanel, filha de Silvio Santos, estreia como apresentadora neste domingo

Compartilhe: Twitter

Patrícia Abravanel: estreia anunciando os produtos da família

Uma das filhas de Silvio Santos, Patrícia Abravanel fará sua estreia como apresentadora neste domingo. A moça, de 33 anos, será a responsável pelo merchandisign do Baú da Felicidade e dos cométicos Jequiti, ambas empresas que pertencem à sua família, que serão exibidos dentro do programa do pai.

Em algumas da vinhetas, ela aparecerá acompanhada por Luiz Ricardo.

Patrícia tornou-se conhecida em todo o país ao sofrer um sequestro, em 2001. Ela já tem experiência na área: chegou a trabalhar na produção da Band. A ideia é que ela comece aos poucos para depois ganhar uma atração só dela.

Me siga no Twitter

Autor: Tags: , , , ,

Novela | 13:32

'Ti Ti Ti' exclusivo: Marcela ficará entre a vida e a morte no último capítulo da novela das sete

Compartilhe: Twitter

Marcela sofrerá um acidente provocado por Luísa

Fortes emoções devem acontecer nas últimas semanas de “Ti Ti Ti”. Em sua reta final, Marcela (Isis Valverde) sofrerá um acidente provocado por Luísa (Guilhermina Guinle) e ficará entre a vida e a morte. A vilã roubará o telefone da babá do filho da protagonista e ligará para ela aterrorizando: “Não é a Fátima, querida. Sou eu. A Fátima eu matei”, mentirá Luisa, colocando um choro de criança no gravador. “Agora tô aqui com seu filhinho, ó. Você acabou com a minha vida… Arrancou de mim o que eumais amo… Agora é minha vez, querida!”

Desesperada, Marcela pega com o carro e vai em busca do filho. Mas a megera já tem uma cilada armada. Passa a perseguir o carro da mocinha e bate várias vezes nele. Para não bater de frente com um caminhão, o carro de Marcela cai numa ribanceira. Levada às pressas para um hospital, Marcela passa por uma cirurgia na cabeça. “Ela tanto pode sair da cama falando eandando, como correr o risco de perder a visão, movimentos,a fala e a memória… Temos que aguardar”, dirá o médico a Edgar (Caio Castro) e Renato (Guilherme Winter).

Para o azar dos rapazes, no entanto, o estado da garota piora. Angustiados, eles pedem para entrar no UTI e ver a amada. E assim terminará o penúltimo capítulo: cada um segura uma mão de Marcela e sofre. Como a coluna havia adiantado, a decisão da mocinha só deve vir mesmo no último capítulo. E, se não quiser saber, pare de ler agora.

Recuperada, Marcela escolherá Edgar e terá um final feliz.

Me siga no Twitter

Autor: Tags: , , ,

Seriado | 10:26

Globo exibirá séries de madrugada em horário fixo

Compartilhe: Twitter

A Globo resolveu usar a mesma estratégia do SBT e exibir seriados americanos durante a madrugada. A emissora já comprou os direitos de “White Collar” (que deve estrear com o título “Colarinho Branco”), “Lie To Me” e “Prison Break”. Todas passarão logo após o “Programa do Jô”. Curioso é que “Glee” continua engavetado pelo canal, que chegou a cogitar exibi-lo de manhã, mas descobriu que teria de fazer muitos cortes por conta da classificação indicativa.

Os seriados devem estrear em abril.

Me siga no Twitter

Autor: Tags: , , , ,

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011 Bastidores, Novela | 15:40

Exclusivo: próxima novela das seis será escrita por Lícia Manzo e outros autores farão 'O Astro' e 'Fina Estampa'

Compartilhe: Twitter

A informação de bastidores é quente: Lícia Manzo vai escrever a novela das seis que sucederá “Cordel Encantado”. Nos últimos tempos, a Globo vivia uma indefinição quanto ao próximo autor a estrear uma trama no horário e chegou a pedir pedir sinopses para vários deles. Patrícia Moretzsohn e Alcides Nogueira, por exemplo, chegaram a desenvolver histórias.

Agora o que se definiu foi o seguinte: Alcides escreverá um remake de ‘O Astro’, para um novo horário de minovelas que a Globo deve lançar. Dirigida por Roberto Talma, a produção será exibida a partir do fim de maio das 23h às 23h40 e terá 56 capítulos. Sabe-se que Tony Ramos chegou a ser convidado para viver o famoso Salomão Ayala, mas recusou por estar cansado depois de “Passione”. A Globo já corre com as escalações.

Já Patrícia Moretzohn, que havia apresentado a sinopse de um folhetim jovem chamado “Baladas”, foi incluída no time de colaboradores de Fina Estampa, a próxima novela das nove escrita por Aguinaldo Silva.

Lícia Manzo é uma grande aposta da emissora: até agora seu trabalho mais emblemático foi o seriado “Tudo Novo de Novo”, exibido em 2009. Ela também colocabou com o texto de “A Diarista”, “Sai de Baixo” e “Três Irmãs”. Atualmente é autora de um dos esquetes da peça “Igual a Você”, estrelada por Camila Morgado.

Autor: Tags: , , , ,

Crítica | 15:24

Globo lançará 'Caminho das Índias' e 'Senhora do Destino' em DVD, mas precisa cuidar melhor de suas edições

Compartilhe: Twitter

Juliana Paes, a estrela de "Caminho das Índias"

Colecionadores adoram ter seus programas favoritos na estantes, para poder ver com melhor qualidade de imagem e som quando puderem. Não raro, as distribuidoras põe na praça séries inteiras num único box. A Globo percebeu esse filão e tem sistematicamente lançado algumas de suas produções. Sejam novelas, minisséries, seriados ou humorísticos. Para citar os mais recentes, já estão nas lojas “Roque Santeiro”, “Boca do Lixo”, “A Vida Alheia” e os “Caras de Pau”. Já foram mandadas para a ilha de edição para serem condensadas também “Caminho das Índias” e “Senhora do Destino”, que devem sair até o fim do ano. Claro, essa é uma boa notícia, mas há ressalvas.

Ao contrário do que acontecer nos Estados Unidos e em outros países, por exemplo, algumas das atração saem em DVD absolutamente picotadas. De que adianta para um fã de “A Vida Alheia”, série que 22 episódios, comprar um disco no qual existem apenas 10 capítulos? Ou para o espectador assíduo de “Os Caras de Pau”, que gostariam de ver um ciclo inteiro do programa, comprar um DVD de “melhores momentos”? O critério de melhores momentos, aliás, é flexível. É questão de gosto. Para uns, estes podem ser os piores.

A questão é: como a Globo pretende firmar o esquema de temporadas em suas grandes se não o valoriza? O ideal é que estes produtos cheguem às lojas com suas levas completas de capítulos. De nada adianta lançar um box com “os melhores episódios” de “Os Normais” para depois colocar nas lojas outro com “mais capítulos inéditos em DVD”. O seriado teve quatro temporadas. Por que não lançá-las uma a uma? É mais rentável, inclusive. É preciso também investir em material extra. Algumas das edições são pobres nesse aspecto.

Ou seja: em questão de DVDs, a Globo ainda tem muito a aprender com o mercado internacional.

Me siga no Twitter

Autor: Tags: , , , , ,

Bastidores | 13:28

Canal E! procura substituto para Gilberto Scarpa

Compartilhe: Twitter

Gilberto Scarpa comadava o "Brasil Bites"

O canal por assinatura E! Entertainment Television está em busca de um substituto para Gilberto Scarpa, morto no mês passado. A emissora quer que o novo comandante do “Brasil Bites”, um programa de variedades, tenha experiência e, claro, seja bonito.

Me siga no Twitter

Autor: Tags: , , ,

Bastidores, Novidade | 07:25

Geisy Arruda fará 'Escolinha do Gugu', na Record

Compartilhe: Twitter

Geisy Arruda vai se arriscar no humor

Pode-se dizer que Geisy Arruda é como um gato de sete vidas no mundo artístico. Sempre que alguém acha que a vida de celebridade da polêmica estudante que foi hostilizada pelos colegas apenas por ter usado um vestido curto está perto do fim, vem uma novidade. A notícia da vez foi confirmada ontem: a ex-participante de “A Fazenda 3” está no elenco da “Escolinha do Gugu”, quadro que o apresentador levará ao ar em seu programa a partir do próximo mês.

Além de Geisy, já estão confirmados no elenco nomes que já participaram de outras versões do humorístico, como Paulinho Cintura, Orival Pecini e Geraldo Magela, e novas caras. Caso da ex-BBB Cacau e da atual capa da “Playboy” Dany Giehl.

Caso vá bem de audiência, o quadro tem grandes chances de virar programa diário.

Me siga no Twitter

Autor: Tags: , , , , ,

  1. Primeira
  2. 7680
  3. 7690
  4. 7700
  5. 7708
  6. 7709
  7. 7710
  8. 7711
  9. 7712
  10. 7720
  11. 7730
  12. 7740
  13. Última