Publicidade

Posts com a Tag Joana Machado

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013 Bastidores, Humor | 11:40

'Legendários' ganha novo diretor e Record promove antigo para evitar que ele assine com a Band

Compartilhe: Twitter

Marcos Mion terá novo diretor no "Legendários"

Depois da saída de Joana Machado, o “Legendários” passa por mais uma mudança na equipe. O humorístico comandado por Marcos Mion ganha novo diretor nesta temporada. O cargo agora pertence a Fernando Soares Pereira, mais conhecido como Fepa nos bastidores. Ele assume o posto que antes era de Carlos César Filho, o Cesinha.

Por enquanto, durante as próximas semanas, os dois diretores trabalharão juntos. Depois, Cesinha partirá para um novo cargo criado especialmente para ele: diretor de um núcleo de criação da Record. Entre os ajustes já decididos está o fato de que o “Legendários” passará a ser exibido em HD este ano.

Nos bastidores, o que se comenta é que a promoção foi uma maneira de evitar que ele assinasse com a Band, que vinha assediando o profissional para ajudar no desenvolvimento do novo programa de Adriane Galisteu.

Siga-me no Twitter

Autor: Tags: , , ,

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013 Bastidores, Humor | 01:52

Joana Machado é demitida do 'Legendários', da Record

Compartilhe: Twitter

Joana Machado: fora de humorístico

Joana Machado não faz mais parte do “Legendários”. A vencedora da quarta edição de “A Fazenda” já foi informada na última quinta-feira (24) sobre a decisão da Record.

A saída da modelo coincide com os ajustes pelos quais o programa passará esse ano e também com os cortes de custos que a emissora vem fazendo. Não há um novo projeto para Joana, por enquanto, e ela deve ser liberada do vínculo com o canal.

Siga-me no Twitter

Autor: Tags: , , ,

sábado, 31 de dezembro de 2011 Sobe e desce | 15:19

O legal e o mico de 2011

Compartilhe: Twitter

No último dia do ano, a coluna lista o que foi destaque e o que foi decepção. A todos, um ótimo réveillon e que 2012 venha com muita saúde e paz.

O QUE FOI LEGAL EM 2011

1) “Cordel Encantado”

Há tempos não se via uma novela tão bela quanto “Cordel Encantado”. Em sua segunda investida nos folhetins da Globo, a dupla Thelma Guedes e Duca Rachid mostrou que veio para ficar. Fotografia belíssima, atores inspirados e uma história afiada. Não por acaso os índices de audiência, que começaram mornos, aumentaram consideravelmente. Cauã Reymond e Bruno Gagliasso também acertaram com interpretações na medida certa.

2) Tatá Werneck e Dani Calabresa

As duas apresentadoras da MTV devem continuar se destacando no próximo ano com suas imitações impagáveis de nomes como Patrícia Poeta, Hebe e Luciana Gimenez. Além disso, Tatá, com suas personagens Taty Periguete e Roshane fazem qualquer um chorar de rir. O humor é das mulheres!

3) “A Vida da Gente”

Não é exagero nenhum dizer que a melhor novela no ar atualmente é “A Vida da Gente”. Inicialmente olhada com desconfiança por apresentar uma trama melancólica em sucessão ao sucesso que foi “Cordel Encantado”, a história escrita por Licia Manzo surpreendeu a todos. O texto é impecavelmente bem escrito, direção e fotografia acertam na maior parte dos casos. Isso sem falar no elenco, que está absolutamente bem afinado. Esta semana Ana Beatriz Nogueira, Marjorie Estiano, Nicete Bruno e Gisele Fróes deram um show. Novela das seis com cara de folhetim das nove.

4) Gabriel Braga Nunes, o vilão de “Insensato Coração”

O público amou odiar o vilão malandro e sem caráter de “Insensato Coração”. Gabriel Braga Nunes entrou aos 45 do segundo tempo na novela das nove para substituir Fábio Assunção e não fez feio. O bom desempenho acabou por lhe render o posto de protagonista da próxima trama das seis, “Amor, Eterno Amor”.

5) Monique Evans e Joana Machado na final de “A Fazenda”

Não fosse por essas duas mulheres fortes, que bateram de frente com figuras machistas e de caráter um tanto fraco, esta edição de “A Fazenda” teria passado batida. Falta que alguma emissora de TV dê oportunidade a Monique, no entanto, uma apresentadora versátil e irreverente.

OS MAIORES MICOS DE 2011

1) “Malhação” sobrenatural

De nada adiantou apelar para a paranormalidade e o sobrenatural para tentar angariar o público de “Lost” e “Crepúsculo”. Esta temporada de “Malhação” amargou audiência baixa e não empolgou a ninguém, tanto que a Globo mandou encerrar algumas tramas antes do tempo e está reformulando o elenco da novelinha adolescente.

2) Daniela Albuquerque

Este foi o ano em que Daniela Albuquerque se tornou nacionalmente conhecida por suas gafes – que não foram poucas. Apesar de um tanto constrangedores, os erros eram garantia de boas risadas. Só para lembrar alguns: ela afirmou que um ano tem 361 dias, tentou atender um espectador que não estava na linha e ainda teve de engolir a inesperada despedida da ex-colega de “Manhã Maior” Keyla Lima ao vivo.

3) Canal Sony se rendes às televendas

Nada pior para um espectador assíduo de um seriado do que sintonizar a TV no horário anunciado e não encontrar sua atração favorita. Foi exatamente isso que o Canal Sony fez com sua audiência. Trocou a faixa de reprises, que muita gente que não chega do trabalho cedo costuma assistir, por programas de televendas. Um total absurdo e completo desrespeito. A situação é ainda mais constrangedora porque paga-se para ver o conteúdo desse canal. Ou seja: dinheiro aplicado para assistir comerciais, coisa que já se encontra aos montes de graça – e em qualidade menos sofrível – na TV aberta.

4) O último capítulo de “Morde & Assopra”

Quem viu o último capítulo de “Morde & Assopra” teve a impressão de estar assistindo duas novelas distintas. Numa, Cássia Kiss fazia chorar dando um banho de atuação. Em outra, cenas toscas e absurdas de dinossauros no Centro da Terra mais faziam rir do que emocionar. O desfecho da trama dá uma ideia de como ela foi irregular do começo ao fim. Não dá pra colocar personagens no Centro da Terra para depois um deles dizer que sairá de lá de barco. Não dá para colocar um sol na oquidão do planeta. Não dá pra colocar geladeira e computadores onde não tem energia elétrica. E não dá pra mostrar cenas tão mal dirigidas como as da morte de Virgínia (Bárbara Paz). Pareceu comédia. Leia a crítica do capítulo aqui.

5) “O Aprendiz – Empreendedor”

Com pouco mais de duas horas de duração, a final de “O Aprendiz” foi exibida ao vivo e elegeu Janaína sua vencedora, mas se destacou por algumas das gafes de João Doria Jr. A maior delas foi dar a entender que Macapá é um estado e não a capital do Amapá, como todos sabem. O erro geográfico ocorreu  quando o apresentador perguntou a avó da campeã onde ela havia nascido e em qual cidade ela vivia. Ao ouvir da convidada que ela vinha do Macapá, ele perguntou de que cidade logo em seguida. Chamou atenção ainda o fato de Doria ter confundido a marca do automável que uma das finalistas receberia de prêmio, por acaso, um dos patrocinadores do programa. Se a final ao vivo do reality show fosse uma sala de reunião, certamente Doria levaria um grande puxão de orelha. Segundo o Ibope, a final marcou a pior audiência de todas as edições. Doria melhorou ao ficar mais bravo, mas ainda assim deixou a desejar ao vivo.

Relembre os micos das semanas anteriores

Siga-me no Twitter

Autor: Tags: , , , , , , , , , , ,

quinta-feira, 13 de outubro de 2011 Em cena | 20:42

Assista ao balanço de 'A Fazenda' pelos colunistas do iG

Compartilhe: Twitter

O consultor de etiqueta e colunista do iG Fábio Arruda e este jornalista que vos escreve  gravamos um bate-papo sobre a final de “A Fazenda” que tornou Joana Machado campeã. Assista abaixo!

Me siga no Twitter

Autor: Tags: , , , ,

Crítica, Reality show | 00:47

'A Fazenda' não repetiu o sucesso das anteriores, mas foi lição de feminismo

Compartilhe: Twitter

Joana Machado: sem medo de combater o machismo, assim como Monique

Brasileiro gosta de histórias de superação. E essa afirmação se comprova com o final de “A Fazenda”. No ano passado, ao participar do reality show Monique Evans deixou a competição execrada pelos companheiros de programa e com a popularidade em baixo. Foram precisos alguns meses – e um povo um tiquinho mais surtado, claro – para que ela desse a volta por cima. De zebra, olhada com desconfiança por todos os companheiros assim que chegou, passou a favorita. Não teve medo de chorar, bateu de frente contra homens que deram um show de misoginia e machismo e sofreu com o preconceito, por ser mais velha e por seu passado. Não abaixou a cabeça mesmo assim. Merecia o título de vencedora do principal reality show da Record. Não levou.

O que ela não esperava era encontrar alguém tão passional quanto si mesma. Joana Machado era outra grande merecedora e levou para casa os R$ 2 milhões. Infelizmente, só uma pessoa pode ganhar o grande prêmio. Mas, mais do que sofrer como a colega, a personal trainer foi ainda mais destemida. Não se furtou a dar opinião. Bateu de frente sem medo com figuras como Gui Pádua. Mostrou que é possível a combinação entre o melhor dos dois gêneros. Combateu a misoginia de frente. Contra a maioria das apostas, que pareciam lhe entregar o segundo lugar por ter ficado apagada nas últimas semanas, Joana venceu. E com ela venceram mulheres que são desprezadas em sua condição, que são reduzidas a um estereótipo bobo. Joana Machado é, sim, ex de um jogador de futebol, mas é também um exemplo de dignidade, de igualdade entre os sexos, de orgulho e ética. Falou tudo o que tinha para dizer na cara. Coisa que Raquel Pacheco não fez. Aguentou calada até mesmo as piores ofensas ditas por Compadre Washington e por isso sagrou-se terceira colocada.

Ao contrário das outras edições de “A Fazenda”, esta teve conflitos do começo ao fim. Normalmente, nas últimas semanas, o jogo ia ficando mais morno. Ponto para Rodrigo Carelli, que conseguiu manter a disputa aquecida. Ao mesmo tempo, a audiência passou bem longe dos 16 pontos pretendidos. Alguns motivos podem ser apontados: apesar de mais afinada, a edição ainda deixa muito a desejar. As “atividades”, ao invés, de estimularem a competição, pareciam brincadeira de criança. Britto Jr., embora tenha apresentado considerável melhora, ainda exagera no didatismo e no excesso de texto. Em contrapartida, a trilha desenvolvida por Laura Finnochiaro foi o maior dos acertous. Criticado por muitos, o nível dos participantes pode ter assustado parcela do público. Mas o casting acertou. Foram eles os responsáveis pelo “show”.

Acima de tudo, “A Fazenda” foi uma grande lição de feminismo. Independente dos barracos, da baixa audiência ou dos problemas de edição, mostrou que o preconceito e o descaso com sexo feminino não têm vez. As mulheres, unidas, jamais foram vencidas.

Me siga no Twitter

Autor: Tags: , , , , ,

segunda-feira, 10 de outubro de 2011 Crítica, Reality show | 01:12

'A Fazenda': Valesca serviu de bode expiatório para evitar uma final antecipada

Compartilhe: Twitter

Valesca se despede de Raquel Pacheco: adeus emocionado

Não é preciso ser nenhum gênio para perceber que nessa reta final de “A Fazenda” a disputa pelo grande prêmio de R$ 2 milhões está polarizada entre Joana Machado e Monique Evans. Dessa maneira, exagerando bastante na leitura, pode-se dizer que o choro copioso de Raquel Pacheco com a eliminação de Valesca Popozuda pode ser encarado também como um lamento, a realização de que é coadjuvante nesse ponto do jogo e que tem chances menores de sair vencedora.

Limada da competição com 46% dos votos, a funkeira carioca pode ser encarada como “baixa de guerra” no reality show. Afinal, está mais do que na cara que a última roça foi tripla para evitar o confronto precoce entre Joana e Monique. Permitir que isso acontecesse seria como deixar que a grande final ocorresse três dias antes do dia marcado. Valesca não saiu por ser impopular. Ela se despediu da sede em Itu apenas por ser menos popular que a apresentadora e a personal trainer. O mesmo teria acontecido com Raquel Pacheco se ela tivesse sentado na mala branca e encarado as perguntas de Britto Jr.

A essa altura do campeonato, o que vai determinar quem sairá campeã do programa é a história construída ao longo dos últimos três meses. E é por isso que Raquel deve ficar com o terceiro lugar. Foi a única a não se comprometer. Não se opôs a Gui Pádua. Ouviu calada as ofensas machistas de Compadre Washington. Este ano o que tem se visto nos reality shows é que o público tem admirado mulheres de fibra, que não baixam a cabeça. Maria ganhou o “BBB 11”. No “Hipertensão” as favoritas são do sexo feminino. Na “Fazenda” não foi diferente. Comparativamente, Joana e Monique saíram-se muito bem no jogo. Mas nas últimas semanas a personal trainer saiu um pouco do foco, brigou menos, tentou se conter mais. Por isso Monique deve sair de Itu milionária. Quem viver verá.

Me siga no Twitter

Autor: Tags: , , , , , ,

quarta-feira, 5 de outubro de 2011 Crítica, Reality show | 01:06

'A Fazenda' consegue feito inédito: pela primeira vez, por voto popular, um reality tem quatro mulheres finalistas

Compartilhe: Twitter

Adeus, Marlon: público decidirá o destino das quatro peoas

Pela primeira vez, um reality show brasileiro definido pelo voto popular terá em sua reta final quatro mulheres. Até então isso só havia se repetido na primeira edição de “No Limite” e na sexta de “O Aprendiz”, ambas sem interferência direta dos espectadores. Com a eliminação de Marlon, tirada da disputa por R$ 2 milhões com 60% dos votos, “A Fazenda” já pode reclamar seu lugar na história desse segmento. A saída do cantor sertanejo também aponta um fato novo: a audiência não quer repetir vencedor. Isso porque, numa rápida comparação, ele pode ser comparado a Daniel Bueno, campeão do ano passado. Assim como o modelo, Marlon evitou tomar partido firmemente, ainda que tivesse andado em companhias duvidosas dentro do jogo – Viola e Gui Pádua, respectivamente.

Da mesma maneira, parece que tirar o grande prêmio de Monique Evans vai ser bem difícil. Sobrevivente de seis roças – se considerarmos a berlinda para entrar no programa na primeira semana -, a apresentadora se redimiu da imagem de barraqueira da última edição. Como Valesca Popozuda ainda não foi testada na preferência popular e Joana Machado também tem torcida grande, afirmar isso pode ser prematuro, no entanto. Raquel Pacheco, se não ganhar imunidade, tem maiores chances de sair dias antes do fim. Disputada por três peoas na próxima semana, a final pode, pela primeira vez, não ser tão previsível quanto as anteriores. Dessa vez a produção do reality show conseguiu manter o fogo aceso na atração do começo ao fim. Merece os parabéns.

Os últimos dias de programa podem reservar boas emoções ainda assim e fugir do marasmo. Marcos Mion entrará na sede do programa para passar 24 horas. E os conflitos entre Monique, Joana e Valesca não parecem completamente resolvidos. De qualquer maneira, de uma coisa todas já podem se gabar: mulheres, unidas, jamais serão vencidas. A não ser por elas mesmas.

Me siga no Twitter

Autor: Tags: , , , , , , ,

segunda-feira, 3 de outubro de 2011 Crítica, Reality show | 01:46

'A Fazenda': Com mulheres à beira de um ataque de nervos, reality pode promover reta final inédita

Compartilhe: Twitter

Os peões na formação da última roça: Monique ou Marlon?

À exceção do primeiro “No Limite” – que viu o grande prêmio ser disputado por Juliana, Pipa, Elaine e Andreia -, nenhum outro reality show de confinamento conseguiu reunir em sua reta final quatro mulheres. Muito provavelmente porque a guerra de vaidades entre o time feminino é mais acirrado, mas também porque os homens costumavam se organizar melhor como grupo. Restringindo um pouco mais, levando em consideração que em “No Limite” todos vivem a céu aberto, sem muros em volta do competidores, “A Fazenda” pode conseguir um feito que o “Big Brother” nunca conseguiu: limar todos os participantes do sexo masculino do jogo antes da final.

Marlon ou Monique? Vote em quem deve ser eliminado!

Para que isso ocorra é necessário, claro, que Marlon seja o eliminado da roça desta semana. E, a bem da verdade, se isso acontecesse de fato, não seria um mau negócio para o espectador. É difícil lembrar um momento em que o cantor sertanejo tenha assumido uma postura menos neutra na competição. E, quando isso ocorreu, foi para servir de ombro amigos para os desabafos descabidos de Gui Pádua. Ao contrário de Joana Machado e Monique Evans, preferiu não cultivar desafetos ou falar o que pensa na cara. Pouco depois de perceber que disputaria a preferência popular com Monique, resolveu partir para o discurso de que não tem casa para morar. Curioso, há alguns meses ele exibia uma mansão na revista “Caras” como se fosse sua. Qual seria a verdade? Discurso de coitadinho, a essa altura do campeonato, não cabe.

Da mesma maneira, a apresentadora meteu os pés pelas mãos ao bater de frente com Joana, sua principal aliada no jogo. Isso pode lhe valer a permanência em Itu. Caso Monique fique, a última semana do reality deve ser diversão garantida. Afinal, quatro “divas” confinadas juntas só pode dar briga. Mulheres à beira de um ataque de nervos, sem dúvida. Da mesma maneira, vamos combinar: seria uma delícia assistir a uma grande final entre Monique e Joana. Tirar a “titia” antes é perder o gostinho de ver essa disputa. Seria uma roça empolgante e disputadíssima, dessas difíceis de arriscar palpite.

Me siga no Twitter

Autor: Tags: , , , ,

sexta-feira, 30 de setembro de 2011 Crítica, Reality show | 01:23

'A Fazenda': Vitória de Raquel Pacheco não significa que ela é favorita ao prêmio

Compartilhe: Twitter

Raquel Pacheco é recebida pela amiga Valesca Popozuda

A última roça de “A Fazenda” foi tão disputada quanto se imaginava. Guardado a sete chaves até o último minuto – Britto Jr. recebeu o resultado no ponto eletrônico – o resultado que tirou Thiago Gagliasso do jogo criou uma lista de finalistas inédita no reality show da Record. Pela primeira vez um homem se vê cercado por quatro mulheres na reta final do jogo. Tamanho isolamento pode fazer com que a popularidade de Marlon cresça e os rumos do programa se alterem.

A essa altura, o risco das favoritas Joana Machado e Monique Evans disputarem juntas uma berlinda é cada vez maior. Se for esperta, a Record deve torcer para que isso não aconteça. Do contrário, pode não haver mistério sobre a identidade do vencedor. O fato de Raquel Pacheco ter sobrevivido à última roça não significa necessariamente que ela está “certa” por brigar com a amiga Joana. Em termos bem pragmáticos, não foi ela que ficou. Foi Thiago que saiu. Muito provavelmente por causa de todo o barulho causado pelos maus tratos às cabras do reality show.

Mais do que nunca, o jogo agora exige paciência e determinação. Um deslize pode colocar tudo a perder. Exemplo clássico de que isso é possível foi o que aconteceu com Daniel no “BBB 11”, que teve de se contentar com o terceiro lugar depois de maltratar a vencedora Maria. Esta semana marca o fim da votação entre os peões. Agora o destino deles será definido por meio de uma pova. Se não for de sorte, provavelmente já se pode colocar um lugar para Monique Evans na última berlinda. É esperar pra ver.

Me siga no Twitter

Autor: Tags: , , , , ,

quarta-feira, 28 de setembro de 2011 Crítica, Reality show | 02:31

'A Fazenda': Thiago Gagliasso e Raquel Pacheco podem disputar roça mais apertada da temporada

Compartilhe: Twitter

Raquel Pacheco e Thiago Gagliasso: disputa sem favoritos?

Com a surpreendente vitória de Valesca Popozuda na prova do fazendeiro, coube a Raquel Pacheco e Thiago Gagliasso disputar a roça da semana em “A Fazenda”. Ao contrário das berlindas anteriores, no entanto, o resultado desta não deve ser fácil de ser fácil de ser previsto. Isso porque em questão de trajetória no jogo, ambos erraram e acertaram em proporções pouco ofensivas tanto para o público quanto para os companheiros de confinamento. Mas, num tempo em que as paixões estão afloradas e torcidas devidamente formadas, o grande “pecado” de cada peão será fator decisivo.

Vote na enquete do iG: Quem deve sair? Thiago ou Raquel?

A coluna explica: se Thiago errou ao se aliar a Gui Pádua em determinados momentos e foi tolerante por demais com o comportamento irascível de Dinei, Raquel também não acertou ao se manter em cima do muro por boa parte do jogo e, quando se posicionar, fazê-lo errado, como no momento em que criticou Monique Evans. Da mesma maneira, o fato de ter maltratado as cabras – e assumido – pode pesar – e muito – contra o irmão de Bruno Gagliasso. Ao mesmo tempo, justo na semana em que foi para o julgamento popular, a eterna Bruna Surfistinha comprou briga com Joana Machado, uma das favoritas ao grande prêmio.  O que pesa mais na balança? É difícil arriscar um palpite e o resultado mostrará se o grande público corrobora com as mesmas opiniões manifestadas nas redes sociais. Até hoje, o “paredão” mais apertado foi o que eliminou Anna Markun. A atriz perdeu para Compadre Washington por apenas 1% de diferença. E ganhou de João Kleber por uma margem de 2%.

Agora as atenções mais do que nunca se voltam para a roça da próxima semana – certamente haverá uma disputa extra para que restem três peões na última disputa. Agora que Valesca é fazendeira, aumentou a chance de ocorrer uma “final antecipada” entre Joana e Monique. Aos fãs, resta torcer para que isso não aconteça.

Me siga no Twitter

Autor: Tags: , , , , , , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. Última