Publicidade

Posts com a Tag leo aquila

quarta-feira, 29 de agosto de 2012 Entrevista, Reality show | 06:00

Britto Jr. não descarta um dia apresentar o 'BBB' e, na data da final de 'A Fazenda', garante: 'Não tenho torcida'

Compartilhe: Twitter

Britto Jr.: "Tenho um pouco de cada finalista"

Depois de uma maratona de três meses, Britto Jr. finalmente terá descanso. Chega ao fim, nesta quarta-feira (29), a quinta edição de “A Fazenda 5”. As férias do apresentador, no entanto, não devem durar muito, já que, no próximo dia 10, ele estreia o “Programa da Tarde” ao lado de Ana Hickmann. A atração tem por finalidade alavancar a audiência vespertina da Record, que vem sofrendo com reprises e enlatados. Sem declarar torcida por Viviane Araújo, Léo Áquila ou Felipe Folgosi, Britto conversou com a coluna enquanto preparava o texto para a grande final do reality show da Record. “Apesar do que dizem as pesquisas, preciso pensar em três cenários diferentes neste caso. Faço várias versões do texto”, afirma ele, que garante: haverá, sim, uma sexta edição do programa, especialmente depois que ele se tornou a maior audiência da emissora este ano, alcançando índices na casa dos dois dígitos. “‘A Fazenda’ tem vida longa”, diz. Leia a conversa a seguir.

IG: Agora que ganhou um programa diário nas tardes da Record, continuar apresentando “A Fazenda” está nos seus planos ou já deu de reality show?
BRITTO JR.: Para mim, não deu ainda. Nessas duas últimas temporadas eu consegui achar o tom, a melhor maneira de apresentar o programa. Agora que estou surfando nessa onda, não vou abandonar a praia. Tem vários apresentadores com dois programas na TV, comigo não não vai ser diferente.

IG: Não vai dar tempo de tirar férias?
BRITTO JR.: Vou respirar um pouquinho e mergulhar no trabalho. A maior parte dos meus 49 anos eu trabalhei muito. Como repórter de campo, no interior – onde fazia um pouco de tudo -, ralei como jornalista. E vida de jornalista não tem feriado e nem fim de semana. Jornalista nunca tem tempo para ele mesmo. Por causa disso, tenho o DNA do operário no sangue. Claro que não posso me comprometer com o que não posso dar conta, mas vou continuar apresentando “A Fazenda” e o “Programa da Tarde” ao mesmo tempo, com alguns ajustes, é claro. Sou apaixonado pelo trabalho.

IG: Sua torcida vai para Viviane, Léo ou Felipe?
BRITTO JR.: Nao tenho torcida. Isso foi uma coisa na qual a profissão de jornalista me ajudou muito. Com ela, exercitei a isenção. Garanto que dá para comandar um reality show sem se envolver com nenhum dos participantes. O que torço, sim, é para que seja uma grande final.

IG: Com qual dos três finalistas se identifica mais?
BRITTO JR.: Eu, pessoalmente, não me identifico com nenhum dos três especificamente. Eu sou um pouquinho dos três, que, curiosamente, são completamente diferentes entre si. O Leo é super animado, mas contorna tudo e dribla os conflitos. Felipe é mais centrado e sisudo. Já a Viviane não leva desaforo para casa. Tenho um pouquinho de cada um. Às vezes dou respostas atravessadas, também sou focado e às vezes também preciso ser mais político.

IG: Muitos afirmam que Viviane Araújo já entrou no jogo como vencedora, por ser vista como vítima em sua história com Belo. Concorda?
BRITTO JR.: Não concordo com essa tese porque tem de se ver como se enxerga o jogo. Tem gente que enxerga só o que acontece jogo. Tem outras pessoas que veem a história de vida somada ao jogo. Depende de como o participante vai ser enxergado. Aliás, esse é um grande mistério. Num reality show, a gente sabe a quantidade de votos e de onde eles vêm, mas não consegue descobrir o porquê. Afinal, o que o brasileiro leva em consideração quando vota? No campo político, já que estamos em época de eleições, coisas incríveis já aconteceram. Já teve voto de protesto, já teve voto equilibrado, teve voto de pessoas com consciênca política e voto pela popularidade. Num reality show não é diferente. As motivações são diversas.

IG: Aceitaria apresentar o “Big Brother Brasil” caso fosse convidado pela Globo?
BRITTO JR.: Essa pergunta nunca me fizeram. (risos). Eu hoje sou da Fazenda Futebol Clube e considero que temos melhor reality show. Além dos participantes serem interessantes, o programa lida com os animais e a natureza… Tenho muito orgulho de trabalhar na “Fazenda”, mas é claro que nunca devemos fechar portas. Sendo algo que eu tenha condicões de fazer e não perder a credibilidade, é um caso a se pensar. A gente está aberto para tudo. Mas não é uma preocupação para mim. Além disso, eles (a Globo) esão bem servidos nessa parte.

IG: Mas uma hora Pedro Bial pode desistir de apresentar o “BBB”.
BRITTO JR.: Sim, a gente tem de saber também a hora de sair. Outro dia mesmo estava lendo que o Marcelo Tas só pretende passar mais um ano no “CQC”. As coisas têm seu ciclo e na vida elas não acontecem exatamente no momento que a gente quer. O que precisa é saber a hora certa de tomar as decisões. No meu caso, eu estava no “Hoje em Dia” e quando fui convidado para fazer “A Fazenda” senti que seria bom para mim.

IG: Costuma assistir aos realities da concorrência?
BRITTO JR.: Assisto um pouquinho, mas como espectador comum. Dou uma espiada às vezes, leio notícias sobre quando repercute muito, mas evito. Sou um cara que tem plena consciência dos defeitos que todos temos. Um deles é a irresistível vontade de torcer contra a concorrência. Como não quero nutrir esse sentimento, faço questão de não acompanhar. Não quero secar ninguém. (risos)

IG: Apesar de estar no ar com “A Fazenda” por três meses, no resto do ano você ficava fora da TV. Incomodava não estar no ar?
BRITTO JR.: Me incomodava muito ficar fora do ar nesse período. Mas foi um teste legal, foi algo que eu precisava viver. Inicialmente, não era para eu ter deixado o “Hoje em Dia” em definitivo. Só aconteceu porque as duas primeiras edições de “A Fazenda” aconteceram muito próximas uma da outra. Não dava para fazer e voltar muitas vezes. Dentro desse processo, acabei ficando muito identificado com o reality, o que foi bom. Mas depois me incomodou, sim. Não por não estar no “Hoje em Dia”, mas por não estar trabalhando. Ninguém consegue ficar sem trabalhar por muito tempo.

IG: Acha que pode haver o risco de confundirem o formato do “Programa da Tarde” com o “Hoje em Dia”?
BRITTO JR.: Talvez possam fazer uma comparação por ser do mesmo gênero, uma revista de variedades. Mas posso garantir que vai ser bem diferente do “Hoje Em Dia”, que está evoluindo e tem seu espaço. Mas não há como confundir. Um vai ao ar de manhã e o outro à tarde.

IG: Houve quem afirmasse que chegou a acontecer um convite para que você e Ana Hickmann voltassem ao “Hoje em Dia”. Essa informação procede?
BRITTO JR.: Não houve essa proposta, nunca fui convidado para voltar definitivamente para voltar ao “Hoje em Dia”. O convite foi apenas para participar no dia da estreia do concorrente (o “Encontro com Fátima Bernardes”). E foi ótimo, porque, naquela época, eu estava precisando daquilo. Precisava sair um pouquinho, respirar, falar de outros assuntos, já que estava muito fechado na “Fazenda”. Durante esse período do reality é importante falar de outros assuntos, sair um pouquinho da rotina. E fui muito bem tratado lá.

IG: A Ana Hickmann comenta muito sobre “A Fazenda” com você?
BRITTO JR.: Nunca falamos muito sobre “A Fazenda”, mas sei que ela assiste. Eu estou muito feliz de trabalhar com ela de novo. É uma profissional dedicada, que gosta de ir pra luta, que tem o objetivo é fazer aquilo dar certo. Sei que vai ser uma ótima experiência.

IG: Qual o grande diferencial desta edição de “A Fazenda” para as outras?
BRITTO JR.: O elenco foi o grande diferencial. Para mim, esse foi o melhor de todos. E olha que já tivemos turmas muito boas! Dessa vez, todos os participantes deixaram uma marca. O resultado das pequenas mudanças, como o Poder da Arca e o fato de os participantes não saberem se o poder é bom ou ruim foi importante. Isso foi um diferencial porque provocou os peões. Para nós, é importante que eles se sintam perdidos no jogo e não consigam prever tudo.

IG: Você dá sugestões de nomes para serem convidados para “A Fazenda”?
BRITTO JR.: Não ficaria à vontade com um participante que eu tivesse indicado. Faço questão de não participar dessa parte. Muitas pessoas me procuraram com essa finalidade. Muitos artistas, não-artistas e, principalmente, anônimos. Mas não estimulo esse tipo de atitude. Eles têm de saber que eu, como apresentador, tenho de ser neutro.

IG: Costuma encontrar ex-participantes?
BRITTO JR.: Sou muito caseiro, fico muito com minha família, então não costumo sair muito. Mas, quando acontece de encontrá-los, a primeira coisa que eu faço é pedir desculpas. Pergunto se fui muito duro durante o programa. (risos)

IG: Agora que o jogo está chegando ao fim parece que vai haver uma chuva de processos. Simone contra Penélope, Nicole contra Viviane… O que acha disso?
BRITTO JR.: Eu acho uma bobagem. Todos têm de considerar que aquilo é um jogo em que as coisas acontecem como na vida. No mundo real isso acontece o tempo todo. As pessoas têm mesmo hipocrisia, às vezes falam uma coisa pela frente e outra pelas costas. Temos de nos preocupar em lutar para sermos pessoas melhores, isso sim. Eu acho essa história de processar uma grande bobagem, daqui a pouco passa. Não é isso que tem valor. Até porque quanto mais se reclama, mais se alimenta a polêmica.

Siga-me no Twitter

Autor: Tags: , , , , , ,

sábado, 11 de agosto de 2012 Sobe e desce | 16:32

O legal e o mico da semana – De 5 a 11 de agosto

Compartilhe: Twitter

O LEGAL – A cobertura das Olimpíadas feita por Record, SporTV, BandSports e ESPN

As meninas do vôlei comemoram a medalha de ouro nas Olimpíadas

Muitos ficaram com receio quando a Record anunciou que tirou da Globo os direitos dos Jogos Olímpicos de Londres. Passada praticamente toda a competição, pode-se afirmar que a emissora cumpriu um bom trabalho, dando espaço, inclusive, a categorias que dificilmente eram vistas na TV aberta. Apesar de a audiência não ter aumentado de maneira explosiva, o canal cumpriu bem seu papel. O mesmo pode-se dizer de SporTV, BandSports e ESPN, que se mostraram ótimas opções, mesmo trabalhando com limitações de credenciais e espaço de entrevistas.

O MICO – Os participantes malas permanecem em “A Fazenda”

Leo, Simone e Robertha só jogam param as câmeras

A Record deu azar. Justo na ano em que “A Fazenda” melhorou em quesitos como edição e dinâmica de jogo, a emissora viu seu principal reality show cair nas mãos dos jogadores mais malas. Depois de perder Diego Pombo e Penélope Nova, o programa viu uma roça de reta final ser antecipada na disputa entre Vavá e Nicole. É chato ver participantes que rendem momentos polêmicos e divertidos deixarem a disputa para que malas assumidos como Simone Sampaio, Léo Áquila e Robertha Portella permaneçam. As três jogam para as câmeras, com showzinhos desnecessários e se preocupam em posar de boazinhas todo o tempo, mas caem em contradição volta e meia. Condenaram os colegas por fazerem “panelinha”, mas, juntas, estão eliminando um a um. Felipe Folgosi permanece uma incógnita. Um reality não pode ter entre os finalistas os mais chatos. Resta torcer para que Viviane e Nicole sigam na competição para que a final seja empolgante.

Relembre os micos das semanas anteriores

E siga-me no Twitter

Autor: Tags: , , , , ,

segunda-feira, 18 de junho de 2012 Crítica, Reality show | 15:35

'A Fazenda': Nesta edição, o jogo é das mulheres

Compartilhe: Twitter

Nicole Bahls, Léo Áquila e Shayene Cesário: amigas e rivais

Com três semanas de jogo, já é certo afirmar: quem manda em “A Fazenda” é ala feminina. Apesar de as outras edições terem contado com participantes fortes e polêmicas como Joana Machado, Anna Markun, Janaína Jacobina e Monique Evans, nunca se viu um grupo de homens tão ofuscado – e por vezes subserviente. Por exemplo: sob pretexto de cavalheirismo – e um tanto de exibição para os espectadores, claro -, a equipe masculina tenta a todo custo poupar as companheiras. Já nos primeiros dias, no celeiro, o esforço era para que subissem as meninas primeiro, já que elas “sofriam mais”. O mesmo critério foi adotado por Felipe Folgosi, depois de ganhar a última Prova da Chave, que mandou os colegas para a xepa.

E não é só na suposta “fragilidade” que elas saem na frente. Os holofotes estão totalmente voltados para elas. Nicole Bahls, grande “vilã” e protagonista desta temporada, não tem meis palavras. Diz o que pensa sobre tudo e todos. Compra briga e comanda o jogo a tal ponto de a edição do reality ser montada a sua volta. Quando Simone Sampaio, com quem teve atrito, voltou da roça, Britto Jr. afirmou: “Nicole não pareceu feliz”.

Da mesma maneira, Gretchen tem chamado atenção. Comandante da cozinha, praticamente manda prender e soltar quem quiser lá dentro. Apesar de manter a boa convivência, não se furta de opinar sobre os amigos de confinamento ou intervir em alguns conflitos – especialmente quando Vavá se mete em assuntos culinários. Com doses de diplomacia e dissimulação, a Rainha do Rebolado tem percebido que o fato de ser a xerife dos fogões pode garantir-lhe semanas de estabilidade na atração. Sua companheira, Viviane Araújo, é outra que desde o início rouba a cena. Todos esperam confissões de seu antigo relacionamento com o pagodeiro Belo e faíscas voam quando cruza o caminho de Nicole. O mesmo pode se dizer sobre Simone.

Leia a cobertura completa de “A Fazenda”

Antes uma desconhecida, Shayene Cesário tem colocado as mangas de fora. Percebendo que os colegas poderiam não se sentir à vontade ao encará-la como amiga de confissões de Nicole, tratou de jogar a ex-panicat no fogo e desatou a falar mal dela. Esqueceu de reconhecer, no entanto, que errou ao entregar a confusão que Felipe fez na hora de votar em Ângela Bismarchi, que havia acabado de perder a irmã. Com a tragédia, aliás, todas as atenções estão voltadas para a personalidade da mídia e seus dias de luto. Há um esforço coletivo para agradá-la e também por parte da edição em fazer o infeliz incidente render mais em audiência.

Mais tranquilas, Penélope Nova e Robertha Portella correm por fora, mas não deixaram de ensaiar atritos com Sylvinho Blau Blau e Diego Pombo, respectivamente. O mesmo se diz de Léo Áquila – que apesar de a Record achar o contrário deveria estar no time feminino, que chama atenção com seus figurinos irreverentes e já ensaia uma rivalidade com Nicole.

Com mulheres tão fortes, o que se percebe é que os homens têm tentado a todo custo achar um lugar ao sol neste reality show. Enquanto Sylvinho abusou de autoridade quando virou fazendeiro, Vavá resolveu mostrar que era um homem sensível e prendado. Rodrigo Capella já correu de bunda de fora. Felipe mantém a discrição. Diego é claramente manipulado por Shayene, que já insinuou que Leo foi falso com ele. No fundo, parecem todos bobos. Nesta “Fazenda”, o mundo é das mulheres. E provavelmente os R$ 2 milhões acabarão no bolso de uma delas.

Siga-me no Twitter

Autor: Tags: , , , , , , , , , ,