Publicidade

Posts com a Tag miguel falabella

sábado, 22 de junho de 2013 Sobe e desce | 15:14

O legal e o mico da semana – De 15 a 22 de junho

Compartilhe: Twitter

O LEGAL – O episódio musical de “Pé na Cova”

Eliana Rocha e Miguel Falabella numa cena do último episódio do seriado

Eliana Rocha e Miguel Falabella numa cena do último episódio do seriado

Com direito a versões de canções de musicais como “Oaklahoma”, “West Side Story”, “Anything Goes” e “Gota D’Água”, o episódio final da primeira temporada de “Pé na Cova” foi divertidíssimo. Ao se utilizar de um recurso tão explorado no cinema, a produção acabou por inovar no modelo de dramaturgia utilizado pela Globo. E não somente isso: já está mais do que na hora de a coluna reconhecer o excelente trabalho de todo o elenco, com destaque especial para Eliana Rocha, Sabrina Korgut e para a dupla Luma Costa e Mart’Nália. Miguel Falabella parece ainda mais afiado no formato de série. Marília Pêra, aliás, dispensa comentários. Genial. Que outubro chegue logo com uma nova leva de episódios!

O MICO – As falhas técnicas do “Jornal Nacional” durante a semana

Galvão Bueno ficou mudo durante o "Jornal Nacional"

Primeiro, William Bonner teve de impedir um produtor de invadir sua ancoragem ao vivo dando a impressão que o empurrou, quando na verdade evitava que ele surgisse no vídeo. Depois, houve problemas de áudio em links ao vivo durante a cobertura dos protestos pelo Brasil. Para completar, durante o “Jornal Nacional” de sexta-feira (21) Galvão Bueno foi boicotado por duas vezes. Uma hora foi abruptamente cortado da tela, na outra foi silenciado por um microfone desligado – que deu margem à piada de que a Globo finalmente “calou o Galvão”, pura maldade. Fato é que o mais importante telejornal do país precisa estar melhor preparado estruturalmente para este tipo de situações. Não que nas concorrentes a situação seja incrível. Apesar da boa cobertura, por vezes não dava pra engolir a “empolgação” de Marcelo Rezende no “Cidade Alerta”.

Relembre os micos das semanas anteriores

Siga-me no Twitter

Autor: Tags: , , , , , ,

quinta-feira, 20 de junho de 2013 Bastidores, Seriado | 05:00

'Pé na Cova' chega ao fim nesta quinta (20), mas já tem volta garantida para outubro

Compartilhe: Twitter

Eliana Rocha e Miguel Falabella numa cena do último episódio do seriado

Uma das boas surpresas do ano na programação da Globo, “Pé na Cova” chega ao fim nesta quinta-feira (20) num episódio inteiramente musical, em homenagem aos espetáculos da Broadway. Bem avaliada internamente, a comédia já tem retorno garantido à grade da emissora. Em outubro entrará no ar a segunda temporada. A equipe de roteiristas comandada por Miguel Falabella já trabalha nos novos episódios.

Siga-me no Twitter

Autor: Tags: , ,

segunda-feira, 10 de junho de 2013 Bastidores, Humor | 14:49

Canal Viva vai abrir sinal para assinantes da NET assistirem estreia dos episódios inéditos de 'Sai de Baixo'

Compartilhe: Twitter

O elenco do primeiro episódio inédito da volta de "Sai de Baixo"

Por causa do barulho causado pelo retorno do “Sai de Baixo”, o Canal Viva abrirá o sinal para que todos os assinantes da NET consigam assistir ao humorístico entre 7 e 17 de junho. O primeiro episódio irá ao ar a partir do dia 11, mas, ao longo da programação há drops especiais sobre o programa.

Nos intervalos, por exemplo, começará a ser exibido o “Momento Reviva”. Trata-se de pílulas gravadas pela apresentadora do programa, Nathalia Ramos, com os atores, fãs e bastidores do sitcom, além de entrevistas com os famosos que estiveram na plateia da gravação e cenas dos artistas decorando o texto e da montagem do palco.

Siga-me no Twitter

Autor: Tags: , ,

quarta-feira, 5 de junho de 2013 Bastidores, Crítica, Humor | 03:06

Primeira noite de gravação dos episódios inéditos de 'Sai de Baixo' confirma: programa segue atual e engraçadíssimo

Compartilhe: Twitter

Miguel Falabella, Aracy Balabanian, Luiz Gustavo e Marisa Orth

“Só queria lembrar a todos que isto é uma gravação, então pode haver cenas a repetir ou ator esquecendo o texto. Podem aplaudir à vontade. O cérebro do Falabella, por exemplo, já está fundido. Já o Caçulinha eu trouxe do asilo”. Foi assim, em clima descontraído, que Dennis Carvalho recepcionou a plateia de um dos momentos mais esperados da TV brasileira este ano: a volta de “Sai de Baixo” em episódios inéditos. Programados para ir ao ar no Canal Viva a partir do dia 11 deste mês, os programas trarão de volta Miguel Falabella, Marisa Orth, Márcia Cabrita, Aracy Balabanian e Luis Gustavo do elenco original. Claudia Jimenez, Tom Cavalcante e Claudia Rodrigues ficaram de fora.

Assistir como plateia e não espectador ao humorístico é uma experiência igualmente divertida. Assim como o diretor avisou, muitas cenas precisaram ser interrompidas para que o elenco lembrasse do texto, mas até isso faz parte do charme da atração, que s notabilizou também pelo riso frouxo de seus atores. Iniciado com uma hora de atraso, o espetáculo tinha um clima de expectativa por rever aqueles personagens tão grande que não houve queixas.

O episódio a que a coluna assistiu mostra Neide Aparecida (Cabrita) rica – graças à PEC das emregadas, diga-se – e reunindo toda a trupe, que separou-se há 11 anos. Cassandra (Balabanian) morava com uma tia sovina. Vavá (Gustavo) foi para a Amazônia. Magda (Orth) foi extraditada da Europa e passou a morar no aeroporto. Caco (Falabella) foi preso na Dinamarca. Caquinho, o caçula da família, é apenas citado: virou ex-BBB e hoje vive de fazer “presença”. Se os rumos que os personagens tomaram já parecem surpreendentes, prepare-se porque o texto de Artur Xexéo e Falabella é delirante. No melhor dos sentidos. Tony Ramos faz uma participação especial como um mordomo. Os atores, aliás, parece que nunca deixaram os personagens de lado e pegaram exatamente do ponto onde pararam.

É nos momentos inesperados que surgem também as maiores surpresas. Numa sequência em que leva Magda e Jean (Ramos) para o quarto, Caco diz: “Na cadeia me abri a novas experiências”. E completa com um merecido “Vou pegar esse urso! Chupa, Feliciano!”. A plateia, claro, apoiou em peso. Uma das grandes razões para o sucesso de “Sai de Baixo” residia no fato de o programa brincar com assuntos da atualidade. E este retorno não foge à regra. Há brincadeiras com o preço do tomate e a situação dos aeroportos, por exemplo.

Infelizmente, as sessões dos episódios inéditos são fechadas para convidados. Isso não significa, claro, que a diversão não está garantida. Ver na TV essa turma toda reunida novamente é um programão. Vale a pena sintonizar no Canal Viva a partir do dia 11 para assistir.

Siga-me no Twitter

Autor: Tags: , , , , , , , ,

terça-feira, 26 de março de 2013 Bastidores, Humor | 19:49

Episódios inéditos de 'Sai de Baixo' ganham data de gravação e exibição no Canal Viva. Saiba como será a história!

Compartilhe: Twitter

Miguel Falabella e Marisa Orth voltarão a viver Caco e Magda no humorístico

O Canal Viva bateu o martelo e ocorrerão em abril as gravações dos quatro episódios inéditos de “Sai de Baixo”. Como a coluna havia adiantado, Miguel Falabella, Marisa Orth, Aracy Balabanian, Luiz Gustavo e Márcia Cabrita estarão de volta. Tom Cavalcante e Claudia Rodrigues estão fora da empreitada, mas o canal ainda trabalha para convencer Claudia Jimenez a fazer uma participação especial.

A data de estreia também foi definida: o humorístico volta ao ar em 21 de maio, uma terça-feira, às 20h30. Todos os episódios serão gravados no Teatro Procópio Ferreira, em São Paulo.

Uma das quatro histórias, que terão direção de Dennis Carvalho e roteiros de Falabella, vai girar em torno de Neide Aparecida (Cabrita), ex-empregada que voltará rica ao apartamento do Arouche, para inveja de Caco Antibes e companhia.

Siga-me no Twitter

Autor: Tags: , , , , , , , , , ,

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013 Crítica, Seriado | 00:26

'Pé na Cova' apela para humor popular com bom elenco, mas peca ao deixar a morte em segundo plano

Compartilhe: Twitter

Miguel Falabella, autor e protagonista de "Pé na Cova"

Não há dúvidas de que Miguel Falabella é um dramaturgo que sabe construir personagens populares. Irreverentes, seus diálogos são de fácil compreensão e caem como uma luva na boca dos atores, por apelar ao coloquialismo sem vulgaridade. Apesar de ótimo, o recurso deve ser usado com parcimônia. “Pé na Cova”, novo seriado do autor, peca exatamente pelo excesso de diálogos e anedotas. Entende-se que o gênero de sitcom exige piadas com agilidade e quantidade, mas a produção da Globo exagerou nesse quesito e esqueceu de estabelecer melhor a grande história.

Em seu primeiro episódio, houve maior preocupação em apresentar os muitos personagens – inclusive os coadjuvantes – de uma só vez do que em retratar com maior cuidado a força motriz da história: a funerária. Vendida como uma série que acompanha o cotidiano de uma família que vive da morte, “Pé na Cova” não privilegiou seu aspecto mais suigeneris. Os defuntos e a maneira como afetam aquele cotidiano viraram pano de fundo sem maiores influências.

Leia também: Abertura “Pé na Cova” usa filme da Disney como referência

Há que se ressaltar, no entanto, que o elenco é absolutamente irrepreensível, repleto de rostos novos na TV como Sabrina Korgut, que dá vida à empregada Adenóide (Falabella parece agora recorrer ao corpo humano para criar seus nomes esquisitos, uma de suas marcas). Luma Costa já pode ser considerada um grande destaque, por fatores mil: sua personagem chama-se Odete Roitman, que trabalha fazendo strip tease na internet e ainda namora outra mulher, Tamanco (Mart’Nália). Uma personagem arriscada, mas que ganhou um quê de “ingenuidade” nas mãos da atriz. Marília Pêra, normalmente associada a tipos ricos e elegantes, dá show falando português errado.

Impossível não ressaltar ainda uma possível comparação entre “Pé na Cova” e “Toma Lá, Dá Cá”, sitcom também escrita pelo autor. Em ambos há uma empregada que vem de longe (Adenóide e Bozena), uma “coroa” liberada e compulsiva (Darlene tem o álcool, Copélia tinha o sexo) e uma filha que desperta amores e ódios (Odete Roitman e Isadora). Curiosamente, Falabella e Daniel Torres repetem suas posições de pai e filho.

“Pé na Cova” pode render bons momentos, mas precisa reconhecer seu eixo principal. Seus personagens já são tão exagerados que não precisam ser “realçados” de maneira forçada. Os próximos episódios prometem.

Siga-me no Twitter

Autor: Tags: , , , ,

quinta-feira, 6 de setembro de 2012 Bastidores, Humor | 06:00

Claudia jimenez deve ficar de fora do retorno de 'Sai de Baixo'

Compartilhe: Twitter

Claudia Jimenez: fora das gravações inéditas de "Sai de Baixo"

Prevista para acontecer no mês que vem no Canal Viva, a volta do “Sai de Baixo” deve contar com uma baixa no elenco. Recuperando-se de uma cirurgia cardíaca, Claudia Jimenez não deve participar das gravações de quatro episódios inéditos do humorístico. Nas primeiras temporadas do sitcom ela deu vida à hilária Edileuza. Por causa de seu estado de saúde, a atriz também teve de declinar uma personagem no seriado “Pé na Cova”, da Globo, que estreia no ano que vem.

Já estão confirmadas as presenças de Aracy Balabanian, Luis Gustavo, Marisa Orth e Miguel Falabella. Márcia Cabritta deve voltar como empregada, mas a participação de Claudia Rodrigues não está descartada. A produção negocia agora um possível retorno de Tom Cavalcante ao papel de Ribamar.

Os roteiros já estão em fase de desenvolvimento e as gravações devem ocorrer em outubro. Sucesso entre os anos de 1996 e 2002, “Sai de Baixo” é atualmente uma das maiores audiências do canal por assinatura.

Siga-me no Twitter

Autor: Tags: , , , , , ,

quinta-feira, 12 de abril de 2012 Entrevista, Novela | 08:59

Renata Celidônio, de 'Aquele Beijo': 'Recebo diariamente declarações de amor e pedidos de casamento'

Compartilhe: Twitter

Renata: "Não vou deixar de pedir poltronas maiores"

Se há um nome que pode ser apontado como revelação de “Aquele Beijo”, que chega ao fim nesta sexta-feira (13), é o de Renata Celidônio. Tudo porque a atriz e cantora, na pele da fogosa Marieta, mostrou que a audiência adora ver mulheres com a auto-estima em alta. Com alguns quilinhos a mais, sua personagem não se furtou de usar as roupas que quis, mostrou-se absolutamente à vontade com questões que envolvem a sexualidade e acabou se tornando queridinha do público plus-size. Uma simpatia só, Renata já sente saudades da novela. E conversou com a coluna. Acompanhe a conversa abaixo:

IG: Marieta parece ter aberto um espaço pouco explorado em personagens plus-size, fugindo dos estereótipos. Acha que as gordinhas serão vistas de maneira diferente nas novelas a partir de agora?
RENARA CELIDÔNIO: Acredito que grande parte do sucesso da Marieta tenha surgido da necessidade que muitas pessoas tinha de admirar e associar a beleza à algo que se aproximasse de suas vidas. Lembro do sucesso que a Dona Jura (Solange Couto) fez em “O Clone”, com suas curvas expostas e seu apelo popular. O telespectador se delicia ao se ver “espelho” de um personagem. Cada vez mais o público pede por realidade na TV, vide o sucesso dos “reality shows”, né? Torço pra que realmente esse espaço esteja aberto a partir de agora, até o dia em que poderemos ver a mocinha “gordinha feliz” da novela sem que isso nos cause estranhamento algum.

IG: Você passou a ser considerada modelo de comportamento e atitude pelo público plus size. Antes disso sofreu algum preconceito pelos quilinhos a mais? Era fácil encontrar roupa e tudo mais?
RENARA CELIDÔNIO: O mercado da moda “plus” já estava começando a expandir antes da novela voltar os olhos do Brasil pra ele. Mas confesso que eu comecei a descobrir mais sobre as marcas e lojas especializadas, depois que a Marieta surgiu na minha vida. Antes disso, era mais facil desenhar a roupa que eu queria, comprar o tecido e fazer. Era muito melhor do que entrar numa loja e ver a cara da vendedora de “não temos o seu número”. O preconceito está implícito. Diariamente, se alguém acima do peso entra numa loja “comum” e quer vestir o que está na vitrine, não vai encontrar o modelo desejado numa numeração acima do “G”. E você já percebeu como o “G” está cada vez menor?

IG: Como foi a experiência de ser jurada de um concurso de miss plus size?
RENATA CELIDÔNIO: Achei lindo quando fui convidada pra ser madrinha daquele concurso de beleza pra mulheres acima do peso. Conversei com as candidatas sobre suas expectativas e o que mais vi em seus olhos foi a vontade de serem aceitas e admiradas pelo mundo.

IG: Nesse momento, a personagem está sofrendo com um regime forçado. Quais as dietas mais loucas que já fez?
RENARA CELIDÔNIO: Nunca fui muito de fazer dietas loucas. (risos). Mas pra não dizer que nunca fiz, há muitos anos resolvi fazer aquela semana do sopão do INCOR, sabe? Era sopa no café da manhã, almoço, lanche e jantar. No quarto dia eu não aguentava mais sentir o cheiro daquilo e até hoje não consigo comer repolho, de tão enjoada que fiquei! (risos). No mais, sou completamente contra o uso de anfetaminas no processo de emagrecimento, nunca soube de um caso assim que desse certo no final. As pessoas sempre acabam engordando três vezes mais depois que param com as “bolinhas”, sem contar os danos que isso traz à saúde física e psicológica. O segredo de qualquer dieta é uma boa alimentação e gastar mais do que você consome. Ou seja: se jogar na malhação!

IG: Pretende afinar a silhueta?
RENATA CELIDÔNIO: A novela está no fim e meus planos agora incluem a palavra “emagrecimento”, porque eu me sinto muito melhor com alguns bons quilos a menos. De toda forma, não vou deixar de clamar por poltronas de cinema e de aviões maiores, não vou deixar de pedir aos estilistas que comecem a produzir suas roupas em todas as numerações possíveis. Enfim: não vou deixar de lutar por um mundo onde o repúdio às diferenças deixe de existir.

IG: Marieta não parece ter muitos pudores e chegou até mesmo a documentar algumas transas com o marido.
RENARA CELIDÔNIO: Gente, Marieta é uma mulher de família! (risos). Quem documentou a intimidade dela com o marido foi a Dona Violante, sua mãe. Mas concordo quando diz que ela “não parece ter muitos pudores”, afinal, ela usa um biquini mínimo quando vai à praia, vive andando pra lá e pra cá com minissaias de lycra e fez uma campanha de lingerie, ficando assim exposta num outdoor pra todo mundo ver.

IG: Como era a reação das pessoas nessa fase da novela? Te achavam muito saidinha? Aliás, a Priscila Marinho, em entrevista à “Veja”, afirmou que os homens perguntavam muito sobre você. A auto-estima anda em alta?
RENATA CELIDÔNIO: O assédio foi aumentando cada vez mais. Algumas pessoas sempre confundem as coisas, né? Recebo diariamente declarações de amor, mensagens nas redes sociais, pedidos de casamento… Acho fofo, fico lisonjeada. Me divirto com isso e me assusto com os que acabam perdendo a linha. Eu sou bem diferente da Marieta em muitos aspectos, a começar pelo que vestimos. Sou bem mais discreta. (risos). E, apesar de não ter mudado meu estilo, confesso ter começado a colocar mais cores no meu armário depois que a novela começou. Agora, o que faz minha auto-estima crescer mesmo é o carinho de alguns fãs queridos que, além da beleza, enaltecem meu trabalho e me fazer ver, diariamente, que tudo vale a pena.

IG: A personagem pode ser considerada um grande presente de Miguel Falabella para você. Como é sua relação com o autor? São amigos de longa data?
RENARA CELIDÔNIO: O Miguel é muito amigo de grandes amigos meus e, apesar de não mantermos um contato constante, posso dizer que ele é umas das pessoas mais incríveis que conheço. Tudo começou há alguns anos, na estreia de um musical que fiz no Rio. Desde então, sempre que nos encontrávamos surgia no meio da conversa o “ah, temos que trabalhar juntos um dia”. Com “Aquele Beijo”, esse dia chegou no momento mais certo da minha vida. Marieta é um presente, sim. E espero tê-la interpretado à altura de todo o talento e da generosidade do meu autor.

IG: Houve quem acusasse a novela de fazer “apologia à obesidade”. O que acha disso?
RENARA CELIDÔNIO: Acho que quem fez isso, além de ter tido um julgamento precipitado, estava mal informado. A novela não fez apologia alguma à obesidade, só mostrou as faces de uma família feliz e de personagens de bem com o próprio corpo, independente de suas formas. Em muitas cenas, inclusive, o texto fazia questão de alertar sobre os riscos de uma vida não saudável. O que as pessoas não podem esquecer é que a família de Olavo e Marieta faz parte de um núcleo cômico, né? Ninguém deve levar tão a sério tudo o que vê.

IG: Considera seguir uma carreira paralela de modelo plus-size?
RENARA CELIDÔNIO: Investir em outra carreira paralela? Bom, já sou atriz e cantora, mas jamais descartarei qualquer oportunidade de fotografar e fazer campanhas publicitárias mundo afora. Se me convidarem (dependendo da proposta, é claro), eu vou.

IG: Do que sentirá mais falta quando a novela acabar?
RENARA CELIDÔNIO: Nossa… de tanta coisa! Vou morrer de saudades da equipe, do clima delicioso dos bastidores, de chegar ao Projac feliz e preparada pra mais um dia de trabalho… E de ver a novela, acompanhando o carinho dos fãs em tempo real pelo Twitter… Ah, isso não tem preço!

Siga-me no Twitter

Autor: Tags: , , , ,

quarta-feira, 11 de abril de 2012 Novela | 11:15

'Aquele Beijo': Damiana será presa no último capítulo; veja outros desfechos da novela

Compartilhe: Twitter

Damiana (Bia Nunnes): atrás das grades

Será somente no último capítulo que Damiana (Bia Nunnes) pagará por seus pecados em “Aquele Beijo”. A vilã terminará a novela atrás das grades, por ter matado Felizardo (Diogo Vilela) e assumido uma falsa identidade.

Outros finais da trama das sete escrita por Miguel Falabella já podem ser adiantados:

– Cláudia (Giovana Antonelli) e Vicente (Ricardo Pereira) finalmente subirão ao altar e serão felizes para sempre.

– Maruschka (Marília Pêra) aceitará Ana Girafa (Luís Salém) como filha e pedirá perdão a Marisol (Mary Sheila), que encontrará o sucesso como estilista.

– Iara (Cláudia Jimenes) seguirá para o Além, enquanto Joselito (Bruno Garcia) fica com Amália (Marina Mota).

– Olga (Maria Zilda) morrerá ao atear fogo no casarão onde vive.

– Agenor (Fiuk) e Belezinha (Bruna Marquezine) se acertam e viverão felizes.

Siga-me no Twitter

Autor: Tags: , , , ,

segunda-feira, 9 de abril de 2012 Cinema em episódios, Novidade | 08:57

'Aquele Beijo': Com revelação de que Agenor é filho de Fábio Jr., Miguel Falabella prova que é autor das massas

Compartilhe: Twitter

Agenor (Fiuk) descobre que é filho de Fábio Jr.: virada divertida na trama

As tramas de Miguel Falabella têm características que não passam despercebidas ao público e “Aquele Beijo”. Além dos nomes para lá de incomuns – só na história da vez há Eveva, Maruschka, Locanda, Íntima, Mirta, entre outros -, o cotidiano do subúrbio é deslindado a partir de características que ocupam o imaginário popular com piadas sobre o alisamento de cabelos crespos – caso do creme megalisatômico – ou o desejo de um seduzir pelo, digamos, rebolado – como a inesquecível Marielza (Zezé polessa), em “Salsa e Merengue”. O apelo da vez é para uma fase que boa parte das mulheres com mais de 30 anos viveu: a paixão por Fábio Jr.

Na história, Agenor (Fiuk) descobriu na última quinta-feira (5), que não é filho de Felizardo (Diogo Vilela). Ao colocar Locanda (Stella Freitas) contra a parede, o rapaz descobre que é fruto de uma relação extraconjugal. De tão fanática que era pelo cantor, sua mãe invadiu um quarto de hotel e enfiou-se numa sob o chuveiro com ele. Resultado: acabou grávida. De tão surreal, a saborosa reviravolta rendeu bons momentos. Fiuk, como se sabe, é filho legítimo do astro da música na vida real. Ganhou uma divertida homenagem do autor. Falabella é mestre em apelar para assuntos que não saem do imaginário coletivo. Não é preciso gostar de Fábio Jr. para saber uma de suas canções. E não são poucas as fãs que o seguem até hoje.

É curioso que “Aquele Beijo” não tenha sido um estrondoso sucesso de audiência. Em tempos nos quais a Globo tem voltando seus olhos para a tão falada classe C, Falabella dá sinais de entendê-la como poucos. Personagens como Mãe Iara (Cláudia Jimenez) e Marieta (Renata Celidônio) renderam ótimos momentos. Alguns outros pecaram por mostrarem-se esquemáticos, pouco carismáticos e sem grandes nuances, caso de Sarita (Sheron Menezzes). Ainda assim, há mais virtudes que defeitos no folhetim. E o texto é saboroso. Talvez o autor seja um bom caso de estudo para a emissora entender seu foco e o que funciona – ou não – com sua audiência. O dramaturgo, sempre antenado, criador de situações hilárias, deve ser encarado como parte da equação. E que venham mais momentos surpreendentes como o caso da paternidade de Agenor.

Siga-me no Twitter

Autor: Tags: , , , , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  5. Última