Publicidade

Posts com a Tag silvio de abreu

terça-feira, 18 de outubro de 2016 Entrevista, Programa | 09:00

Silvio de Abreu: “Quando a pessoa não tem talento, não adianta”

Compartilhe: Twitter

Silvio de Abreu fala da carreira no “Persona em Foco”, na TV Cultura, e diz que mudou de rumo assim que percebeu não ter vocação para ser ator

Silvio de Abreu fala da carreira (Jair Magri/Divulgação)

Silvio de Abreu fala da carreira (Jair Magri/Divulgação)

Silvio de Abreu revive sua trajetória no “Persona em Foco” que será exibido às 23h30, desta terça-feira (18) na TV Cultura. O autor, que vai completar 74 anos, diz que partiu para a direção assim que percebeu que não tinha vocação para ser ator.

Leia mais »

Autor: Tags: , ,

terça-feira, 12 de julho de 2016 Novela, Vem Aí | 13:30

Aguinaldo Silva anuncia data de estreia de sua nova novela e volta ao realismo fantástico

Compartilhe: Twitter
Y_aguinaldosilva_rodaviva3
Aguinaldo Silva
vai deixar as novelas urbanas de lado e voltará a investir no realismo fantástico que marcou sucessos como “Pedra Sobre Pedra” (1992), “Fera Ferida” (1994) e “A Indomada” (1997) em sua próxima trama. O autor revelou até a data de estreia ao participar do programa “Roda Viva”, exibido na noite de segunda-feira (11) na TV Cultura.

Leia mais »

Autor: Tags: , , , , , , , , ,

sábado, 27 de abril de 2013 Briga pela audiência, Crítica, Novela | 00:04

'Guerra dos Sexos': Novela termina com menor audiência de seu horário e mostra que o exagero nem sempre é o caminho

Compartilhe: Twitter

Irene Ravache e Tony Ramos, os protagonistas da novela das sete

Assim como sua versão original, “Guerra dos Sexos” deve entrar para a história da teledramaturgia brasileira, mas por motivos totalmente diferentes. Enquanto a trama de 1983 inovou no escracho, elevou a audiência e discutiu um tema pertinente a sua época, o remake da história de Silvio de Abreu passou a liderar a lista das novelas com menor número de espectadores segundo a medição do Ibope. Afinal, o que poderia dar errado na revitalização de uma história presente até hoje no imaginário do público? Parecia jogo ganho antes mesmo da estreia. Entretanto, o folhetim, que exibiu o último capítulo nesta sexta-feira (26), tirou de “Tempos Modernos” o título de menor audiência da história do horário das sete e obteve média de 27 pontos em seu desfecho, com pico de 30. Na média geral, que contabiliza do primeiro ao último episódio, foram cerca de 23 pontos.

O fato de “Guerra dos Sexos” não ter repetido o sucesso dos anos 80 pode ser explicado a partir de duas hipóteses. Uma delas aponta para uma expressão chamada “zeitgeist”, que, em tradução livre, significa “espírito do tempo”. Há mais de 20 anos, era comum o debate sobre as mulheres ganhando espaço no mercado de trabalho e ameaçando o posto dos homens. Hoje, em pleno século 21, esta discussão parece ultrapassada. Os espectadores podem ter achado, portanto, que estavam vendo algo completamente fora de sintonia com a era em que vivem.

Outra explicação pode residir nas fortes cores e influências usadas pelo autor, Silvio de Abreu, para contar sua história. Fã assumido da era de ouro do cinema americano e de musicais da Broadway, o dramaturgo permeou a trama com influências “importadas” e claros toques que remetem ao “screwball comedy”. Infelizmente, em tempos de informação rápida e com vida útil cada vez mais fugaz, nem todo mundo tem essa memória afetiva. Nesse sentido, se comparada ao exagero de sua antecessora, “Cheias de Charme”, a novela pecou pela falta de tempero brasileiro – não que não houvesse, que fique claro: mas houve menor apelo popular.

Depois de um começo dificil, em que o tom de interpretação de parte do elenco beirava a caricatura, é preciso dizer que a trama fez os ajustes necessários. Apesar de desfavorecida por um tema batido, a novela mostrou fôlego nos últimos meses e teve uma reta final divertida. Muitos dos finais, é preciso dizer, repetiram o original – caso do mistério do bigode de Tony Ramos -, mas o suspense em torno do triângulo amoroso entre Nando (Reynaldo Gianecchini), Roberta (Gloria Pires) e Juliana (Mariana Ximenes) conseguiu prender a atenção. É preciso também destacar a atuação de Bianca Bin, Luana Piovani e Drica Moraes, que roubaram a cena a cada aparição. Novos nomes como Mariana Amellini, Johnny Massaro, Antônia Moraes e Thalita Lippi também mostraram firmeza. Tony Ramos, Irene Ravache e Marilu Bueno dispensam comentários.

Silvio de Abreu é um excelente autor. Já nos deu tramas inesquecíveis como “A Próxima Vítima” e “Rainha da Sucata”. Não repetiu o sucesso com o remake de “Guerra dos Sexos”, mas isso não é motivo para desacreditar seus próximos trabalhos.

Compare as audiências dos últimos capítulos das novelas do horário das sete:

Guerra dos Sexos – 27 pontos
Cheias de Charme –  32 pontos
Aquele Beijo – 30 pontos
Morde & Assopra – 36 pontos
Ti Ti Ti – 36 pontos
Tempos Modernos – 33 pontos
Caras & Bocas – 41 pontos
Três Irmãs – 25 pontos
Beleza Pura – 33 pontos
Sete Pecados – 39 pontos
Pé na Jaca – 33 pontos

Siga-me no Twitter

Autor: Tags: , , , ,

sexta-feira, 26 de abril de 2013 Entrevista, Novela | 06:00

Thalita Lippi, de 'Guerra dos Sexos': 'Tem quem ache que ser ex-BBB é profissão, mas na verdade é condição. Eu sou atriz'

Compartilhe: Twitter

Thalita Lippi: "ciúme" de Luana Piovani e Eriberto Leão

Thalita Lippi cumpriu uma trajetória diferente da maior parte das estrelas de novela. Apesar de ter se formado em vários cursos de teatro, tornou-se nacionalmente conhecida ao participar da oitava edição do “Big Brother Brasil”. Terminado o período pós-reality show, voltou a mostrar dedicação ao seu ofício e encarou o primeiro desafio na carreira como Marcinha, uma vilã em “Caminho das Índias”, de Gloria Perez. Pouco tempo depois, foi surpreendida pelo diretor Jorge Fernando, no meio de uma peça de teatro, com a notícia de que foi aprovada para o papel de Lucilene, em “Guerra dos Sexos”.

Ao longo dos últimos meses, a atriz contracenou com nomes como Irene Ravache e Tony Ramos e mostrou que a participação no “BBB” há alguns anos virou mero detalhe em seu currículo. Neta do cineasta Nelson Pereira dos Santos e filha dos atores Nádia Lippi e Ney Sant’anna, Thalita cresceu em coxias e bastidores. Agora, virou orgulho da família. Ela conversou com a coluna sobre a novela das sete, que chega ao fim nesta sexta (26).

IG: O que mais vai deixar saudade ao parar de interpretar Lucilene?
THALITA LIPPI: Acho que já tô sentindo falta do processo de trabalho, da rotina de gravações e do meu ritual de transformação  diário, quando virava a Lucilene.

IG: A personagem é uma das poucas da novela é fugir da comédia. Lucilene é uma mocinha sonhadora, que quer o bem de todos, considerada às vezes excessivamente ingênua. Você se identifica com ela na vida real?
THALITA LIPPI: Pra alguns setores da minha vida, assumo que sou, sim, bem Lucilene. Quando o assunto é coração ou amizade, por vezes já fui bem ingênua. Acredito que existe muita Lucilene por aí. Eu as vejo como “Polianas” modernas que tentam ver sempre o lado bom das coisas, mas que em certas horas são capazes de parar com a “fofura” pra lutarem pelo que querem.

IG: Houve muito espectador esperando pelo momento em que Lucilene finalmente desmascarasse Carolina. Você também ficou ansiosa, ficou contando as horas para acontecer?
THALITA LIPPI: A relação entre ator e personagem passa por momentos singulares. Por ser uma obra aberta, nós atores só vamos saber o que vai acontecer a cada novo bloco de capitulos entregue. Esse momento onde somos “público”, pois estamos lendo pela primeira vez o que vai acontecer, é o ápice da ansiedade.

IG: Toda novela que se preze tem briga de tapa entre mocinha e vilã e você teve a oportunidade de gravar uma cena assim. É muito complicado?
THALITA LIPPI: É complicado, mas divertido! Uma sequência de ação como uma briga envolve tanta gente, com tanto detalhe que uma cena pode demorar horas pra ser gravada! E além de todo o cuidado técnico na gravação, existe o receio de “machucar” o outro ator em cena. Gravar briga é tenso!

IG: Antes, você tinha feito uma vilã, Marcinha, em “Caminho das Índias”, mas a personagem surgiu mais para o fim da novela. É muito diferente pegar uma personagem do começo?
THALITA LIPPI: Completamente diferente! Marcinha era uma participação que foi crescendo numa história da qual fui fazer parte do meio pro final, com o processo já em andamento. Já a Lucilene, foram dois meses de aproximação através da leitura dos primeiros 40 capítulos e da prova de figurino, pra só depois começar a gravar! O processo de construção de Lucilene foi mais rico e completo.

IG: Ficou frustrado ao ver que Ulisses correria para os braços e Vania e Lucilene perderia seu grande amor?
THALITA LIPPI: Olha, não vou negar que assim que eu soube desda mudança bateu um ciúmes de leve! Mas um triângulo amoroso com Luana e Eriberto foi um presente em termos de cena e aprendizado! E essa história do “tesão de louco” entre eles é muito legal de ser contada e de ser vista! Eu sou fã da trama do casal!

IG: Chegou a conversar com Helena Ramos, que viveu sua personagem na primeira versão?
THALITA LIPPI: Por uma questão de orientação do autor e direção, não. Apesar de sermos Lucilenes bem distintas, espero que ela tenha aprovado a minha Lu!

Nádia Lippi visitou Thalita e posou com Mariana Amellini

IG: Sua mãe assiste a novela?
THALITA LIPPI: Sim! Minha mãe acompanha a novela com direito a feedback ao vivo via sms, me dizendo o que achou da cena! Foi muito gostoso acompanhar ela torcendo por Lucilene e vibrando por mim. Tanto ela como meu pai foram me visitar no estudio e foi aquela festa! Ambos trabalharam com Jorginho Fernando, Gloria Pires, Tony Ramos, Irene Ravache e Edson Celulari, e participar desse reencontro foi muito emocionante! Meu pai chegou a fazer uma participação, mas a minha mãe infelizmente nao!

IG: Você ficou nacionalmente conhecida por causa do “BBB”. Incomoda a comparação com figuras como Grazi e Juliana Alves, que saíram do programa e também viraram atrizes? Aliás, você tem algum problema em falar do programa?
THALITA LIPPI: Claro que nao tenho problema com qualquer comparação ou em falar do game! Como já disse em outras entrevistas, agradeço o dia que Boninho me escolheu pro “Big Brother Brasil”, pois foi através do jogo que consegui várias oportunidades. Quanto às comparações são normais. Tenho Grazi e Ju Alves como referências. Cada uma em seu caminho, à sua maneira, foram conseguindo se firmar na carreira. Eu tô lutando pra isso!

IG: Acha que com a carreira nas novelas vão parar de te chamar de ex-BBB em algum momento?
THALITA LIPPI: Eu acredito que se eu continuar fazendo um caminho legal, com trabalhos diversos e personagens interessantes, um dia, posso ousar pensar que meu nome será mais forte que o termo “ex-BBB”. Tem gente que acha q ser ex-BBB é uma profissão, mas na verdade é uma condição. Fico muito feliz de ter participado do game, mas essa página eu já virei. Eu sou atriz.

IG: Já tem novos projetos encaminhados?
THALITA LIPPI: Depois da novela vou ficar umas duas semanas de férias e no final de maio começo a ensaiar “Amor na Fotografia”, em que contraceno com William Vita. O espetáculo vai voltar a viajar o Brasil ainda esse ano!

IG: Que tipo de personagem espera encarar agora? Crie seu personagem ideal para uma próxima novela!
THALITA LIPPI: Personagem ideal eu não sei, mas eu adoro desafios… (risos) Então adoraria fazer algo bem diferente do meu universo particular! Uma vilã, assim como qualquer personagem de época ou de ação, eu adoraria fazer! Também adoraria fazer uma drogada ou uma piriguete!

Siga-me no Twitter

Autor: Tags: , , , ,

quinta-feira, 18 de abril de 2013 Novela | 06:00

'Guerra dos Sexos': Saiba como serão os principais finais dos personagens no último capítulo!

Compartilhe: Twitter

Charlô (Irene Ravache) e Otávio (Tony Ramos) ficarão juntos no fim

“Guerra dos Sexos” colocará o ponto final em sua história na semana que vem, mas a coluna já pode adiantar os principais finais da novela das sete de Silvio de Abreu. Acompanhe abaixo.

Roberta e Charlô  recuperam os diamantes – Depois de uma perseguição desenfreada, Charlô (Irene Ravache) e Roberta (Gloria pires) vão conseguir encurralar Veruska (Mayana Moura) quando a bandida estiver prestes a fugir de helicóptero com as joias. Roberta devolverá, então, toda a fortuna a Otávio (Tony Ramos).

Charlô ganha a aposta – Depois de admitir que Charlô e Roberta são competentes, Otávio assume também que sabotou a loja. Assim, Charlô é sagrada campeã da aposta e volta com tudo para a empresa.

Manoela enlouquece – Transtornada por não recuperar o amor de Fábio (Paulo Rocha), Manoela (Guilhermina Guinle) prende o ex-marido no estúdio fotográfico e ateia fogo em tudo. Apesar de conseguir escapar, Fábio logo terá mais um motivo para se preocupar. A vilã sequestrará Ciça (Jesuela Moro) e tentará matar Juliana (Mariana Ximenes). Depois, será internada num hospício.

Leia também: Após queixa do público, Globo reescreve finais de Gianecchini, Gloria Pires e Mariana Ximenes

Nando fica com Roberta – Contrariando todas as expectativas, Nando (Reynaldo Gianecchini) voltará para os braços de Roberta (Gloria Pires). O amor por Juliana chegará ao fim quando ele flagrar a namorada trocando um beijo com Fábio. O motorista se arrependerá de ter deixado a empresária e partirá em busca de seu amor e se transformará no modelo que dá face às campanhas da Positano.

Carolina será presa e vai virar feirante – Depois de ir parar na delegacia e ser oprimida pelas presas, Carolina (Bianca Bin) voltará para a vila. Lá, passará a vender canudinhos de coco na feira. Mas estará sempre à espreita para dar mais um golpe e melhorar de vida.

Analu (Raquel Bertani) e Zenon (Thiago Rodrigues) começarão a namorar

Felizes para sempre – Vários casais se acertarão na reta final. Caso de Frô (Mariana Amelini), que só vai se curar da alergia ao namorar Kiko (Johnny Massaro) e descobrir que contou com a ajuda de Lucilene (Thalita Lippi. Analú (Raquel Bertani) finalmente cederá aos encantos de Zenon (Thiago Rodrigues). O mesmo se aplica a Ronaldo (Jesus Luz) e Isadora (Antônia Moraes).

Nieta fica grávida – Superadas as preocupações com Carolina, a feirante começará a sentir enjoos. Logo, Dino (Fernando Eiras) descobrirá que a mulher está esperando um bebê. Ou melhor, dois: Nieta (Drica Moraes) ficará grávida de gêmeos!

Irene Ravache surge como prima portuguesa – Como a coluna havia adiantado, Irene Ravache surgirá em mais uma personagem, a portuguesa Altamiranda, no penúltimo capítulo. Assim como Charlô e Otávio, ela também viverá às turras com Dominguinhos. E mais: vai tentar, no último capítulo, reivindicar metade da herança.

Charlô e Otávio ficam juntos – Depois de muito jogo de gato e rato, os primos finalmente admitirão que se amam. Charlô ficará de coração mole depois de descobrir que o segredo do bigode de Otávio tem viés solidário. Junto com Nando, ele faz shows para crianças carentes. Os dois, então, se declaram e deixam o orgulho de lado. Isso não impedirá, claro, que sigam discordando por bobagens.

Siga-me no Twitter

Autor: Tags: , , , , ,

segunda-feira, 15 de abril de 2013 Crítica, Novela | 20:57

'Guerra dos Sexos' presta homenagem a 'Vale Tudo' em cena com interpretações certeiras de Drica Moraes e Bianca Bin

Compartilhe: Twitter

Nieta (Drica Moraes) desmascara Carolina (Bianca Bin): tributo e metalinguagem

Demorou, mas finalmente Nieta (Drica Moraes) descobriu que a filha não presta em “Guerra dos Sexos”. A dona de casa da Mooca surpreendeu Carolina (Bianca Bin) momentos antes de seu casamento e tratou de deixar claro que sabia que a garota inventou uma falsa gravidez. Esta poderia ser mais uma cena de virada comum em folhetins, mas Silvio de Abreu, aliado a atrizes afinadíssimas, a subverteu a partir da metalinguagem.

Ao perceber que a vilãzinha fingia que teria um filho, Nieta a questiona: “E depois? Ia fazer que nem na novela e comprar uma criança?”. Surpresa, Carolina responde: “Eu já pensei em tudo! Eu vou rolar uma escada e fingir que perdi o bebê!”. Revoltada, a personagem a mãe rebate: “Igual a outra novela? Vai fazer igual à Maria de Fátima? Sua sem-vergonha! Eu vou fazer igual à Regina Duarte!”. Assim, parte para cima da mau-caráter e, além de lhe dar uma surra, rasga seu vestido.

O espectador de novelas nos anos 80 bem lembra da cena a que Nieta se refere. Trata-se de uma das reviravoltas de “Vale Tudo”, de Gilberto Braga, Aguinaldo Silva e Leonor Basséres. Na trama, Raquel (Regina Duarte), ao se dar conta de que Maria de Fátima (Gloria Pires) está dando o golpe da barriga num milionário, parte para cima da filha e rasga todo o seu vestido de grife. É uma sequência até hoje gravada na memória de muitos.

Ao remeter a ela, Silvio de Abreu não somente presta homenagem aos colegas e ao gênero da telenovela, como mostra que recorre aos recursos que ele oferece de melhor. Some-se a isso um desempenho primoroso de Drica Moraes afinadíssima com Bianca Bin, e a sequência igualmente lavou a alma do espectador revoltado com as maldades da jovem vilã. As duas atrizes, aliás, destacam-se desde o começo da história e Drica, com sua experiência, deu um banho de interpretação.

Cada vez mais, as novelas têm investido na metalinguagem e no chamado “crossmedia”. As muitas cenas em que personagens aparecem assistindo a tramas no tablet ou no celular são a prova disso. Silvio de Abreu é espero e sabe que há muitas Nietas por aí. E, como ela, todas adoram assistir uma boa novela.

Siga-me no Twitter

Autor: Tags: , , , , ,

quinta-feira, 28 de março de 2013 Novela | 10:17

'Guerra dos Sexos': Irene Ravache viverá mais uma personagem na novela, a portuguesa Altamiranda

Compartilhe: Twitter

Irene Ravache: sotaque português

Em breve, mais um integrante do elenco de “Guerra dos Sexos” vai começar a falar com sotaque de Portugal como Tony Ramos. Assim como na primeira versão da novela, uma prima muito parecida com Charlô entrará na história. E caberá a Irene Ravache, claro, encarnar a irreverente Altamiranda.

Assim como ocorreu com Dominguinhos (Tony), muitos dos personagens ficarão em dúvida se é ou não um golpe da empresária. E isso terá a ver com a revelação do paredeiro de seu primo, Otávio.

A participação da portuguesa, no entanto, não deve durar muito. Segundo Silvio de Abreu, Altamiranda só aparecerá no fim do penúltimo capítulo da novela das sete. E todo o último capítulo, que será exibido em 26 de abril, vai girar em torno das confusões que ela aprontará.

Siga-me no Twitter

Autor: Tags: , , , , ,

quinta-feira, 4 de outubro de 2012 Briga pela audiência, Novela | 12:17

Pelo terceiro dia seguido, audiência de 'Guerra dos Sexos' cai

Compartilhe: Twitter

Tony Ramos e Edson Celulari contracenando em "Guerra dos Sexos"

Parece que a Globo vai cortar um dobrado para fazer com que “Guerra dos Sexos” mantenha os índices de “Cheias de Charme”. Pelo terceiro dia seguido desde a estreia, a audiência da novela escrita por Silvio de Abreu caiu. Segundo dados do Ibope, a trama das sete registrou 22 pontos na última quarta-feira (3). Na segunda-feira (1), a comédia marcou a menor audiência da história das estreias na faixa das 19h, com 28 pontos. No dia seguinte, o número caiu para 25. Ou seja: “Guerra” tem perdido três pontos por dia.

A tendência descendente deve ser interrompida nesta quinta, quando não haverá mais horário político e a novela deve voltar para o horário de costume.

Siga-me no Twitter

Autor: Tags: , , , , ,

quarta-feira, 3 de outubro de 2012 Briga pela audiência, Novela | 13:09

'Guerra dos Sexos': Audiência cai no segundo capítulo

Compartilhe: Twitter

Gloria Pires e Carlos Alberto Riccelli em cena das novela das sete

Se na estreia “Guerra dos Sexos” já preocupou ao marcar o menor índice de estreia de uma novela na faixa das 19h da Globo, no segundo dia não houve melhor. De acordo com dados do Ibope, o capítulo dois da trama de Silvio de Abreu teve audiência ainda menor. Apesar de ter liderado, o folhetim marcou 25 pontos.

É esperar para ver se com o fim do horário político os números reagirão.

Siga-me no Twitter

Autor: Tags: , , , ,

segunda-feira, 1 de outubro de 2012 Briga pela audiência, Crítica, Novela | 20:35

'Guerra dos Sexos' estreia com menor audiência da história do horário das sete e conflito datado. Veja números

Compartilhe: Twitter

Irene Ravache e Tony Ramos: protagonistas apareceram pouco

Quando foi ao ar, nos anos 80, a primeira versão de “Guerra dos Sexos” fazia todo o sentido. Afinal, naqueles tempos as mulheres começavam a conquistar o mercado de trabalho, podiam se divorciar livremente e “Malu Mulher” já havia causado barulho na TV. Os homens tinham justificado seu medo ao vê-las galgando espaços. Hoje, com as belas mais liberadas do que nunca, a releitura da novela de Silvio de Abreu tem pela frente o desafio de fazer com que diferenças irreconciliáveis entre os gêneros sigam rendendo assunto.

De certa maneira, na novela este conflito soou mesmo datado. Com discurso feminista, Vânia Trabbuco (Luana Piovani) brada contra os homens da empresa e analisa o casamento alheio. O protagonista, Bimbinho (Tony Ramos) desdenha da capacidade feminina. Assim como Cumbuqueta (Irene Ravache) rejeita ser subestimada: “Depois dizem que somos o sexo frágil”, diz, pilotando um avião. Relevada a atualidade da questão, a novela diverte. Tem cenários suntuosos como o da loja Charlô’s e boa trilha sonora – embora algumas músicas não tenha a mais moderna das abordagens.

Chamou atenção no primeiro capítulo, no entanto, o fato de as grandes estrelas da história terem aparecido menos que outros personagens. Apesar da boa sequência da leitura do testamento, Tony Ramos e Irene Ravache foram ofuscados por personagens como Roberta (Gloria Pires) e Vittorio (Carlos Alberto Ricceli), que ganharam mais cenas. Luana Piovani também ganhou destaque especial. Desde já, pode-se apostar em figuras que podem roubar a cena, caso da falastrona Frô (Mariana Amellini), da secretária Lucilene (Thalita Lippi) e da carismática Nieta (Drica Moraes, arrasando já na primeira aparição). Nando, papel de Reynaldo Gianecchini, deve ganhar formas mais sólidas à medida que a história correr. Por enquanto, seu modo de agir lembra um pouco o Pascoal, de “Belíssima”, também de Silvio de Abreu. O autor, aliás, merece congratulações. Apesar de datada a questão central, seu texto é leve e gostoso.

No quesito audiência, o folhetim decepcionou. De acordo com dados prévios do Ibope, a trama marcou média de 27 pontos, com 49% de share. O número é menor que as antecessoras marcaram. A coluna fez um levantamento das novelas exibidas nos últimos 11 anos na faixa. Já durante os anos 90, todas ficaram acima dos 30 pontos. Os números devem fazer de “Guerra dos Sexos”, portanto, a estreia de menor audiência na faixa das sete. Compare:

ATUALIZAÇÃO: No consolidado, a estreia de “Guerra” fechou com 28 pontos.

Guerra dos Sexos – 28 pontos
Cheias de Charme – 35 pontos
Aquele Beijo – 34 pontos
Morde & Assopra – 32 pontos
Ti Ti Ti – 29 pontos
Tempos Modernos – 29 pontos
Caras & Bocas – 33 pontos
Três Irmãs – 33 pontos
Beleza Pura – 30 pontos
Sete Pecados – 36 pontos
Pé na Jaca – 40 pontos
Cobras & Lagartos – 35 pontos
Bang Bang – 35 pontos
A Lua Me Disse – 32 pontos
Começar de Novo – 40 pontos
Da Cor do Pecado – 41 pontos
Kubanacan – 41 pontos
O Beijo do Vampiro – 36 pontos
Desejos de Mulher – 29 pontos
As Filhas da Mãe – 36 pontos

Siga-me no Twitter

Autor: Tags: , , , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  5. Última